domingo, 14 de fevereiro de 2016

Jejum: liberdade e recomeço

Bom dia pessoal


Hoje vim falar do jejum. Já falei sobre jejum no meio de algumas postagens. Teve uma época que fiz o Jejum Intermitente (de 18 horas), mas não obtive os resultados que eu queria então deixei de lado a ideia. MAS, cada vez que vou ao meu médico (contato no final do post) ele insistia com essa coisa de jejum... e pior, ele me indicava o jejum de 24 horas!!!! OMG... Do jeito que sou comilona e detesto passar fome, era uma coisa beirando ao impossível para mim. 

E assim fui levando, enrolando o doc e nunca fazendo esse tal de jejum*. Já tinha ouvido relatos de que o jejum (e de agora em diante quando falo jejum me refiro ao de 24 horas, ok?) dava uma sensação de bem estar e liberdade. Oi? Esse povo só pode estar inventando.... Quando tentava o jejum, só sentia fome mesmo, hehehheheh. 

Esse mês, o Dr. André me indicou uma dieta cíclica e o primeiro dia da dieta são 24 horas de jejum** (Tomando apensa chá, café e água) !!!!!!!!!!! Pensa numa pessoa morrendo só de pensar.... Fui ver o segundo dia, pensando, é agora que tiro a barriga da miséria.... MAS só tinha 100g de gordura (Só as boas: óleo de coco, abacate...).... Pensei: depois de 24h sem comer... no outro dia não vou aguentar só com 100g de gordura nem a pau. Para quem não tem noção de peso, lá no final coloquei um exemplo de um dia com 100g de gordura. 

MAS eu sou teimosa. Coloquei na cabeça que iria tentar. Na primeira semana, resolvi testar apenas o jejum de 24 horas, sem dar continuidade, para ver como meu corpo iria se comportar, e também precisava organizar o cardápio e as comidas e não tinha muito tempo pra isso. Minha última refeição foi um almoço de domingo. Ai coloquei na cabeça... agora é jejum!! Mas claro que as coisas não são tão fáceis, né.... no meio do caminho estava com um grupo de amigos que estavam comendo besteiras e fizeram até pipoca!!! Imagina no cheiro e na minha barriga roncando.... 

Pra conseguir levar adiante, fiz bastante chá de Hibisco e Melissa e cada vez que me dava vontade de comer, tomava o chá. Fui percebendo que estava tudo dentro da minha cabeça. Na verdade não estava realmente com fome. 

Aí chegou o segundo desafio... Ir dormir sem estar de barriga cheia! Logo pensei: Não vou conseguir dormir. MAS para minha surpresa. Não tive nenhum problema pra dormir e nem tive insônia. UFA. No outro dia pensei... o mais difícil já foi (dormir), agora que cheguei até aqui não vou parar. E confesso que foi ficando cada vez mais fácil e cada vez melhor. Quando completou as 24h eu não estava com fome e nem me sentindo mal. Pelo contrário. Estava experimentando uma sensação de liberdade e purificação. Parece que estava em sintonia com meu corpo de uma forma diferente. Comecei a pensar no jejum espiritual/religioso tão comum e antigo.... e entender esse sentimento de purificação. 

Depois do jejum acrescentei as gorduras indicadas pelo meu médico e consegui fazer os exercícios tranquilamente. Esqueci de dizer que os treinos não param, nem no dia do jejum... 

O restante da dieta cíclica funciona mais ou menos assim>... Começa com o jejum, para dar um reset na "máquina". Depois acrescenta só gorduras... Vai diminuindo gorduras e aumentando proteínas... Depois aumenta proteínas e carboidratos e diminui mais as gorduras... Depois diminui proteínas (continua com pouca gordura) e aumenta bastante os carbos. Claro que são carbos bons... batata doce e tal. O último dia antes do próximo jejum fica só com proteína novamente. 

Esse é um resumo bem sintético para vocês terem uma noção da dieta. Ela dura 15 dias a cada jejum. Ainda não consegui fazer certinho, pois acabo comendo menos do que é indicado... Mas estou me acostumando com muitas coisas novas, então digamos que esteja no período de experiência. 

Os resultados estão ótimos, além de desinchar, uns quilinhos foram embora.... Mas é cedo pra ver os resultados, ainda nem terminei a primeira fase... Só queria compartilhar essa possibilidade com vocês, que para mim era algo impossível, mas que se tornou tão prazeroso. Vou praticar o jejum a cada 15 dias por prazer e como forma de reconectar mente, corpo e universo....

Beijo grande
Jully 



Clínica Lipo Brasil
Dr. André Gustavo Eichstaedt
R 2414, 40 - Centro - Balneário CamboriúSC - Cep: 88330-442
047 3368-1601/ 047 3056 5662
_______________________________

Dia com 100g de GORDURA:
- 100g de abacate
- 3 colheres de óleo de coco
- 30g de pasta de amendoim
- 50 g de creme de leite em lata
_____________________________

* Eu não sou médica, não indico dieta. Não estou indicando a ninguém fazer o jejum. Só estou relatando minha experiência. 
** Procure um nutricionista ou um médico de confiança. 

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Os hormônios: parte 2

Oi pessoas, tudo bem?

Hoje vim falar dos últimos andamentos do meu emagrecimento e dos hormônios bioidênticos. Primeiro fiz o tratamento fitoterápico, que relatei no último post (aqui). Depois de três meses refis os exames e tive ótimos resultados!! Vejam a diferença da testosterona nos meses de julho a novembro! A Testo total era menor do que 10, eles colocam esse valor quando não encontram testosterona. Em novembro já consegui aumentar para 37,8... Isso foi com os fitoterápicos da minha nutri. Na real? Jurava que não iria dar certo. Imagina que uma raiz peruana (Maca) ou umas plantinhas iriam mudar meus hormônios! Quebrei a cara, hehheheheh. Também fiz reposição de Vitamina D e B12, pois como vocês podem notar estava bem baixa. Vejam como melhoraram!!! Eu já tomava antes as vitaminas, mas não cuidava da minha flora bacteriana e provavelmente não tinha uma boa absorção dos nutrientes. Gente, é muita coisa, é muito detalhe, por isso é tão importante ter um bom profissional para ajudar a gente. Eu sou uma afortunada, pois tive muita sorte de encontrar os dois melhores profissionais que eu poderia conhecer.


Bem, essa foi minha evolução com o acompanhamento da nutri. Em novembro, conversei com o Dr. André Eichstaedt (da Clínica Lipo Brasil) sobre esses meus probleminhas e resolvi tentar o tratamento com hormônios bioidênticos que ele me falou. Quero deixar bem claro que não tive nenhum problema com minha nutri, adoro ela e mantemos contato. Pretendo voltar nela de tempos em tempos, até porque adoro a metodologia dela. Mas nesse momento vi a necessidade de seguir com apenas um profissional, já que o Dr. André é também Nutrólogo, não fazia sentido....

Enfim, fui na consulta com Dr. André (que por sinal é um gato, mas eu não posso falar isso porque ele lê meus posts e eu fico com vergonha, mas pronto, falei, heheheh). E a minha esperança era começar o tratamento com os hormônios bioidênticos e ficar linda e loira em 15 dias, kkkkkkkkkk!!!!

Claro que isso NÃO aconteceu, porque isso só acontece com as divas do Instagram e eu sou gente como a gente, de carne e osso e claro que não iria ser fácil!!! 

Nos primeiros 15 dias não vi nenhum resultado, mas o Dr. André me tranquilizou dizendo que era normal. Alterou a minha dieta, mandou eu fazer HIIT e continuei firme e forte. Uma das minhas metas era ganhar massa muscular e percebo que estou conseguindo. Ainda não fiz o exame que mostra certinho, mas quando fizer venho contar. Para ganhar massa passei a fazer recargas de carboidratos. É mais ou menos assim, dieta slowcarb e duas vezes por semana, recargas de 3 horas de batata doce... Claro que eu também estava na esperança que seria recarga de sorvete, macarrão e pizza, kkkkkkk. Mas nada disso, é recarga de comida de verdade (tipo uma 700g de batata doce cozida - em 3 horas). Essa foi a principal mudança na minha dieta. Antes até tomava um vinho de vez em quando, mas agora cortei isso também. Afinal a vida é feita de escolhas e não dá para ter tudo!!! Acredita que brindei o Réveillon com água? Mas foi na boa, sem stress e sem cobrança.

Faz três meses que estou fazendo o tratamento e nas últimas semanas percebi que a balança baixou, as gordurinhas estão indo embora e começo a perceber as formas dos músculos. Pessoal, isso é um processo e precisa ter calma, mas o legal é saber que dá pra "arrumar".


Leiam e se informem sobre os hormônios bioidênticos, a internet tem muito material bom! Fiquem com um trecho do post do Dr. André...

beijos
Ju ;)


Trecho do post: Hormônios, menopausa e anticoncepcionais: parte 1  - do Dr. André Eichstaedt




Terapia de reposição com hormônios sintéticos não-bioidênticos  (remédios de hormônios)

Uma das decisões mais complexas enfrentadas pelas mulheres foi o uso ou não da terapia de reposição hormonal  com hormônios sintéticos NÃO-bioidênticos.  Uma vez prescrita,  a terapia  de reposição  hormonal visava aliviar os sintomas vasomotores e  também atuar como uma estratégia para prevenir várias doenças que  se  aceleram após a menopausa, incluindo a osteoporose e doenças cardiovasculares. Mais de 30% das mulheres após a menopausa nos Estados Unidos usam atualmente a terapia de reposição hormonal com remédios de hormônios infelizmente.

Um grande debate a respeito  da terapia  de reposição  hormonal tradicional foi realizado através do estudo Women´s Health Initiate  (WHI),  fazendo com que suscitassem pesquisas no campo da terapia hormonal tradicional com remédios de hormônios. A pesquisa que avaliou mais de 27.000 mulheres menopausadas durante 5,2 anos mostrou um aumento significativo do risco de câncer de mama, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral e tromboembolismo venoso. Tal estudo  foi interrompido precocemente devido a uma relação risco-benefício desfavorável para terapia de reposição com hormônios sintéticos não-bioidênticos.
Enfim, é óbvio que qualquer médico em sã consciência ficaria no mínimo receoso em prescrever tais drogas para suas pacientes, após a divulgação destes resultados  e é por este motivo que há tanto medo em falar de hormônios hoje.

Mas perceba que o problema real é que a absoluta maioria dos médicos viveu e ainda vive pensando que estes remédios são iguais aos hormônios

Ora, não são nem iguais e nem entram no corpo como deveriam, ou seja, está tudo errado e é por isto que causaram tantos problemas. Se hormônios do próprio corpo causassem problemas, as meninas de 20 anos, no ápice de seus níveis hormonais teriam todos os problemas, não é mesmo? E quando ocorrem problemas, como já demonstrei: justamente na fase em que a mulher perde seus hormônios!

Veja por exemplo a diferença estrutural entre Progesterona natural, e uma das que são vendidas como progesterona, mas que na verdade é Medroxi-Progesterona (acrescentado um radical e tudo muda, pois vira algo estranho para o corpo):



Eu sempre costumo dizer que sorte de quem sente estes sintomas, pois procurarão auxílio médico, uma vez que mesmo quem não sente está sofrendo das mesmas mudanças metabólicas e dos mesmos riscos pela falta dos hormônios, fundamentais para a qualidade de vida e da saúde. Só que já que o brasileiro só costuma procurar o médico quando acontece algum problema visível, perde a oportunidade de NÃO ter o problema, de evitar prevenindo muitas vezes de formas simples.

Digo isto, pois os números são assustadores, tanto quanto os sintomas. Se analisarmos por exemplo o risco de infarto, veremos que até os 50 anos, para cada 1 mulher infartada, são 20 homens. Dos 50 aos 65, a estatística se torna 5 homens para cada 1 mulher. E a partir dos 65 anos, os números se igualam, ou seja, homens e mulheres enfartam com a mesma incidência! 

Ora, não precisa ser nenhum gênio para concluir que a única coisa que muda nas mulheres com os 50 anos, é o início do climatério (nome correto para a fase após o evento da menopausa). Portanto, também não é preciso ser nenhum gênio para perceber a importância que faz ter hormônios e a falta que eles fazem.

A Modulação hormonal Bioidêntica é um meio natural e quando realizada por especialistas seguindo todos os critérios e protocolos, extremamente seguro e eficaz de equilibrar e otimizar metabolicamente os níveis hormonais benéficos individuais de cada pessoa. O medo a respeito disso me parece tão absurdo, até porque anticoncepcionais orais são dados às meninas, desde seus 14 anos de idade com absoluta naturalidade e não passam de hormônios sintéticos com poder de alterar toda cascata hormonal sexual da menina. Qual seria então o problema de reequilibrar esta situação com hormônios feitos exatamente com a mesma estrutura bioquímica molecular dos do corpo?

Uma pequena historia para finalizar.

“Em um povoado antigo, existia um senhor que tinha um poder muito especial: o poder da adivinhação.
Ele nunca havia errado nenhuma pergunta até então e sua fama atravessava fronteiras.
Certo dia, um garoto muito esperto resolveu que naquele dia, ficaria marcado para história pois enganaria o velho sábio pela primeira vez. Faria ele errar a adivinhação.
Pegou um passarinho em suas mãos e arquitetou sua peça. Seguraria com as duas mãos o pássaro atrás do corpo. Perguntaria ao sábio se o pássaro estava vivo ou morto. Caso ele dissesse que estava vivo, ele apertaria com a mãos o pescoço do pobre animal e mataria. Caso a resposta fosse que ele estava morto, ele o deixaria vivo e mostraria àquele senhor que, invariavelmente, estaria equivocado.
Partiu então o menino até chegar ao velho, escondeu as duas mãos atrás do corpo segurando o passarinho e perguntou:
- Então senhor das adivinhações, você que tem o dom da sapiência e que diz nunca ter errado, sabe se o animal que seguro em minhas mãos está vivo ou morto?
O velho homem pensou entristecido por cerca de 1 minuto, colocou uma das mãos sobre a cabeça do garoto acariciando seus cabelos e disse:
-  Amado garoto, a resposta está em suas mãos!”

Bem amigos, a escolha está eu suas mãos. Pesquisar, ir atrás da verdade e ter a oportunidade de viver com saúde, de não ser manipulado e ter as verdades escondidas de vocês depende única e exclusivamente de vocês.  Sinto-me honrado e agradeço diariamente por ter tido a oportunidade de viver isto em minha saúde e de minha família. Sinto também que é minha obrigação lutar para que o máximo de pessoas tenham oportunidade ao menos de ter o conhecimento. A partir daí, fazer ou não fazer algo, ir ou não atrás de ter saúde são escolhas pessoais. Independente disto, se eu conseguir mudar a vida de uma pessoa só, estarei presenteado e sentirei que fiz a minha parte.

              “A velhice parece ser a única doença. Todas as outras estão contidas nela.”
                                                          Ralph Waldo Emerson





Terapia de reposição com hormônios sintéticos não-bioidênticos  (remédios de hormônios)
Uma das decisões mais complexas enfrentadas pelas mulheres foi o uso ou não da terapia de reposição hormonal  com hormônios sintéticos NÃO-bioidênticos.  Uma vez prescrita,  a terapia  de reposição  hormonal visava aliviar os sintomas vasomotores e  também atuar como uma estratégia para prevenir várias doenças que  se  aceleram após a menopausa, incluindo a osteoporose e doenças cardiovasculares. Mais de 30% das mulheres após a menopausa nos Estados Unidos usam atualmente a terapia de reposição hormonal com remédios de hormônios infelizmente.
Um grande debate a respeito  da terapia  de reposição  hormonal tradicional foi realizado através do estudo Women´s Health Initiate  (WHI),  fazendo com que suscitassem pesquisas no campo da terapia hormonal tradicional com remédios de hormônios. A pesquisa que avaliou mais de 27.000 mulheres menopausadas durante 5,2 anos mostrou um aumento significativo do risco de câncer de mama, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral e tromboembolismo venoso. Tal estudo  foi interrompido precocemente devido a uma relação risco-benefício desfavorável para terapia de reposição com hormônios sintéticos não-bioidênticos.
Enfim, é óbvio que qualquer médico em sã consciência ficaria no mínimo receoso em prescrever tais drogas para suas pacientes, após a divulgação destes resultados  e é por este motivo que há tanto medo em falar de hormônios hoje.
- See more at: http://nutrologiamedica.blogspot.com.br/2013/06/hormonios-menopausa-e-anticoncepcionais_2.html#sthash.uwRhW33b.dpuf
Terapia de reposição com hormônios sintéticos não-bioidênticos  (remédios de hormônios)
Uma das decisões mais complexas enfrentadas pelas mulheres foi o uso ou não da terapia de reposição hormonal  com hormônios sintéticos NÃO-bioidênticos.  Uma vez prescrita,  a terapia  de reposição  hormonal visava aliviar os sintomas vasomotores e  também atuar como uma estratégia para prevenir várias doenças que  se  aceleram após a menopausa, incluindo a osteoporose e doenças cardiovasculares. Mais de 30% das mulheres após a menopausa nos Estados Unidos usam atualmente a terapia de reposição hormonal com remédios de hormônios infelizmente.
Um grande debate a respeito  da terapia  de reposição  hormonal tradicional foi realizado através do estudo Women´s Health Initiate  (WHI),  fazendo com que suscitassem pesquisas no campo da terapia hormonal tradicional com remédios de hormônios. A pesquisa que avaliou mais de 27.000 mulheres menopausadas durante 5,2 anos mostrou um aumento significativo do risco de câncer de mama, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral e tromboembolismo venoso. Tal estudo  foi interrompido precocemente devido a uma relação risco-benefício desfavorável para terapia de reposição com hormônios sintéticos não-bioidênticos.
Enfim, é óbvio que qualquer médico em sã consciência ficaria no mínimo receoso em prescrever tais drogas para suas pacientes, após a divulgação destes resultados  e é por este motivo que há tanto medo em falar de hormônios hoje.
- See more at: http://nutrologiamedica.blogspot.com.br/2013/06/hormonios-menopausa-e-anticoncepcionais_2.html#sthash.uwRhW33b.dpuf
Hormônios: Menopausa e Anticoncepcionais : Parte 1 - See more at: http://nutrologiamedica.blogspot.com.br/2013/06/hormonios-menopausa-e-anticoncepcionais_2.html#sthash.uwRhW33b.dpuf
Hormônios: Menopausa e Anticoncepcionais : Parte 1 - See more at: http://nutrologiamedica.blogspot.com.br/2013/06/hormonios-menopausa-e-anticoncepcionais_2.html#sthash.uwRhW33b.dpuf
Hormônios: Menopausa e Anticoncepcionais : Parte 1 - See more at: http://nutrologiamedica.blogspot.com.br/2013/06/hormonios-menopausa-e-anticoncepcionais_2.html#sthash.uwRhW33b.dpuf

sábado, 11 de outubro de 2014

Nem tudo é alimentação: os hormônios em questão


Olá amig@s,

Finalmente finalizei meu mestrado!! Mas confesso que estou sumida por falta de vontade mesmo, hehehhe. Nesse período não larguei a dieta e continuo com o acompanhamento da nutricionista. Foram muitas mudanças até vermos o que funciona para mim. Mesmo controlando carbos e até calorias (desespero total), nos primeiros meses de tratamento não perdi gordura significativa e nem ganhei massa. O fato é que eu não estava emagrecendo por estar com os meus hormônios TODOS alterados. 

Mas vou começar do começo... Há vários anos uso pílula contínua para escapar dos sintomas da TPM e não engravidar. Quando decidi ficar grávida há 8 anos, parei a pílula e engravidei em 3 meses. Depois que minha filha nasceu, voltei a tomá-la.
Eu não achava natural ter toda aquela cólica, irritação e espinhas!! Me achava super saudável tomando pílula sem interrupção.... Mal sabia eu da confusão hormonal que estava causando no meu corpo. Eu confiei em um médico que me garantiu que não fazia mal. Comecei a desconfiar da pílula quando fiz pesquisas com pacientes de AVC e sempre tinha essa coisa da pílula ser um dos fatores de risco para trombose. Mas sabe quando a gente não quer ver? Pois é, não queria ver que fazia mal e realmente não vi. Só valorizava os sintomas aparentes que ela fazia desaparecer. 

Com toda essa mudança no meu estilo de vida. Deixei de tomar remédios (somente em casos extremos, antes eu vivia na farmácia). E depois que passei a ter acompanhamento com a nutri, os únicos industrializados que ainda faziam parte da minha dieta eram: o adoçante de sucralose (já estou eliminando, para entender porque, leia aqui) e o whey de carne (esse ainda não consegui eliminar).

Depois de várias mudanças na minha alimentação, de realizar exames e verificar deficiências em algumas vitaminas (como a Vit D, Vit B12 e Zinco), ainda não havíamos encontrado a solução ou pelo menos alguma resposta do porquê eu não emagrecia mais. Foi aí que a nutri me pediu uma bateria de exames importantes e hormonais: LDH, ESTRONA, TSH, T4L, ESTRADIOL, PROGESTERONA, CORTISOL, INSULINA, TESTOSTERONA TOTAL E LIVRE, DEHIDROEPIANDROSTERONA, DIHIDROTESTOSTERONA - DHT.

Os resultados estão no final do post, para quem quiser dar uma olhada. EU não tenho competência para explicá-los tecnicamente, mas como leiga posso dizer que eu cheguei a achar que estava na menopausa, buá, buá!!! Quando fiz os exames achei que os hormônios femininos estariam altos (por causa da pílula) e os masculinos estariam baixos (pelo mesmo motivo). Mas para minha surpresa, os hormônios de forma geral estavam todos baixos, tanto femininos quanto masculinos!!!

A nutri explicou que eu não estava emagrecendo e nem ganhando massa, pois meus níveis hormonais não permitiriam. Mesmo que eu dormisse e acordasse na academia,  não adiantaria. Isso é um balde de água fria em alguém que está se esforçando tanto há mais de dois anos, não acham? Mas pelo menos passei a ver uma luz do fim do túnel! Eu ficava muito frustrada, pois ajudei muita gente a emagrecer (obrigada aos seguidores pelos vários relatos que recebi por e-mail), fazia tudo certo, mas eu mesma não emagrecia. 

Para ajudar (#sqn), também fiz o teste de curva glicêmica e insulinêmica e a nutri disse que eu tenho síndrome metabólica, mesmo depois de dois anos fazendo low carb!! Imagina como seria meus exames há dois anos atrás?

O que fazer diante disso? Perguntei a ela se eu devia fazer reposição hormonal (estou falando de hormônios sintéticos), parar a pílula? o que fazer??? Ela não me disse para parar a pílula, mas disse que tomando a pílula dificilmente iria produzir os hormônios nas quantidades adequadas para mim. Foi minha a decisão de parar a pílula e aguentar os sintomas que viriam em decorrência disso.

A nutri sugeriu não fazer reposição hormonal, pois ela acredita que colocar hormônios de fora, vai fazer com que meu corpo nunca volte a produzi-los naturalmente. O que faz muito sentido para mim. E já que tomei essa posição na minha vida e ter uma vida mais natural possível, achei melhor não procurar pela reposição. A solução seria estimular meu próprio corpo a produzir os hormônios que eu preciso. E isso é possível com fitoterápicos. 

No primeiro mês de tratamento fitoterápico-hormonal (eu chamo assim) tive uma pequena redução de gordura e um pouco de ganho de massa. A nutri fez mais alterações nos manipulados e no segundo mês perdi 3 quilos de GORDURA e mantive a massa muscular. Para quem não estava emagrecendo nada, perder 3 kg em 1 MÊS é MUITAAAA coisa. Mais uma vez alteramos as fórmulas, até porque meu segundo objetivo é ganhar massa muscular. No mês seguinte não perdi e não ganhei nada.

Veja bem, a dieta continuou a mesma, as únicas mudanças foram nos fitoterápicos. Essa semana fui na nutri e com esse resultado percebemos que talvez o problema estaria na transformação da testosterona em DHT. Ela acha que devemos inibir a conversão de testosterona para DHT para sobrar mais testosterona para converter em Estradiol. Gente, isso é só um resumo, a coisa é mais complexa, tem também outros sintomas que ela leva em conta para chegar nessas hipóteses, como por exemplo o aumento da minha queda de cabelo, mesmo fazendo reposição de vitaminas para isso, tipo o zinco e a biotina...

Enfim, esse post eu fiz para dizer que nem tudo é a alimentação. Que muitas vezes vocês estão fazendo tudo certo (não se sintam culpadas), mas existem outros fatores atuando no organismo. Eu não teria conseguido descobrir tudo isso sem a ajuda de um profissional, e espero que se vocês desconfiam de algum problema, procurem ajuda e não fique perdendo tempo e dinheiro comprando produtos aleatórios. 

Eu também queria dividir com vocês algumas pesquisas que fiz sobre os fitoterápicos que estou tomando ou que tomei nesses últimos meses para tentar ajustar meus hormônios (as fontes estão lá embaixo). Espero que tenham gostado do post, um beijão!!








Pss. 
1.Minha nutricionista não tem nenhum vínculo ou responsabilidade com os dados contidos neste post.
2.Não sou especialista da nutrição, não indico dieta, não analiso exames, somente compartilho a MINHA experiência.






Fontes: 

terça-feira, 3 de junho de 2014

Pizza low carb de couve-flor


Oiê minha gente.

Continuo firme e forte na dieta, e devendo muitos posts, mas estou na reta final do mestrado e fico muito culpada em dedicar tempo ao blog que poderia dedicar à dissertação. Quem segue pelo Insta pode acompanhar meu dia a dia alimentar, e perceber como anda minha dieta. Mas vou contar um pouco sobre o que tem acontecido. Bem, desde novembro de 2013 eu estava com a balança travada. Não só a balança, também não tive resultados significativos no ganho de massa. Isso é tão frustante, né? São 6 meses, é muita coisa. Alguém se identificou aí? Aí tem todo aquele papo, que balança não é importante, que o corpo precisa de um tempo pra se acostumar.... e todo aquele blá, blá, blá!!!! Sim, tem sua parte de verdade, mas depois de tannntooosss meses sem emagrecer, fazendo dieta low carb alguma coisa deve estar errado. E olha que eu mudo a dieta a cada dois meses... ou aumento carbos, ou diminuo as proteínas, justamente por causa do efeito platô. Mas queria chamar a atenção para uma coisinha que acho que deixei passar... Em novembro fiz exames de sangue e a médica disse que estava tudo bem. Mês passado fui em uma nutricionista funcional low carb/paleo (e mostrei meus últimos exames) e ela disse que eu estava naquele exame com infecção urinária. Gente, como a médica não viu isso???? Detalhe, em fevereiro, depois de uns 3 meses daquele exame fui parar no hospital achando que estava com pedra no rim (imagina a dor!!!) e na verdade estava com infecção urinária!!! Meu deus, tem tudo a ver, infecção urinária com dificuldade para emagrecer.... quem tiver, leia o capítulo do livro do Dr. Atkins, é um dos primeiros, que fala sobre isso. E eu, muito burra, sabia disso, mas não tinha ligado uma coisa com a outra. Precisa tratar a infecção, gente. Outra coisa que me deixou chateada, a médica disse que minha B12 estava boa.... A nutricionista disse que estava muito baixa!!!!!!!!! Ela é muito importante para a produção de serotonina (falta dela aumenta a vontade de doce, compulsão, depressão, sono ruim) e é muito importante para a memória também. E que o ideal era ficar acima de 500...A minha tava 250!! E olha que eu como muita carne... imagino que a falta de B12 tenha a ver com a microbiota intestinal... que acaba não absorvendo bem os nutrientes... Pode ser também pelo uso da caseína... por isso retirei ela da minha alimentação. Entramos com suplementação de B12 sublingual e tomo a noite antes de dormir, junto com a B12 tem também o 5HTP para me ajudar a dormir melhor. Por isso minha dieta foi estruturada pela nutri para fazer principalmente 3 coisas:
- Desintoxicar rins e fígado (com verduras roxas, brássicas, chá de hibisco e dente de leão. Tem um manipulado que tem chá verde e outras coisas na fórmula) 
- Restaurar a microbiota intestinal pra poder absorver os nutrientes dos alimentos (com banana verde, batata yakon e manipulado de prebióticos)
- Cuidar da infecção urinária (verduras e chás)

Gente, é muita coisa, muito detalhe, e estou adorando que alguém cuide disso tudo pra mim... Estava bem cansada de fazer o jogo da tentativa e erro com as coisas que lia. 

O que eu acho é que esse meu platô gigante pode ter a ver com tudo isso, principalmente com a infecção urinária... 

Pra resumir a história, de industrializado/refinado estou só com a sucralose (ainda não me livrei dela... é um outro passo) e com o whey Elite Primal, que é feito da proteína da carne (ao contrário dos outros que é da proteína do leite) mas que não tem caseína na composição e é rico em vitaminas do complexo B. TODO o resto é COMIDA DE VERDADE!!!!!

Como cheguei num peso "saudável" para o meu corpo, ele não entende que quero emagrecer mais... por isso além de fazer uma dieta low carb, a nutri também deu uma reduzida nas calorias diárias....(Baseado também no meu teste de bioimpedância).  Mas não tenho como dizer, pois as calorias variam, pois em dia de treino de musculação meu pré treino tem mais coisa: além do ovo e do gengibre, tem também 100g de batata doce, 1/4 de beterraba e yakon. E quando faço treino aeróbico de alta intensidade, meu pré-treino tem 1/2 xícara de mirtilos e 50g de banana. É complicado de explicar, pois tem essas variações de acordo com o gasto energético do dia. No pós treino tem basicamente proteínas, e fica assim: 2 ovos, gengibre e 1 dose de whey. 

Mas é como eu disse, é muito individual e foi feito na medida das minhas necessidades. Uma pena ser difícil  encontrar bons profissionais com essa visão low carb/paleo... 

Mas vamos ao que interessa, a receita da pizza... Ta rolando um congresso online de alimentação saudável. Eu assisti já da outra vez algumas palestras e agora também. É feito pelo Instituto Nacional Vida Saudável, e pode assistir de graça ao vivo. Ontem assisti a palestra do Rodrigo, "Como emagrecer de vez, alcançar seu peso ideal com sorriso no rosto". Ele tem o blog Emagrecer de vez. E compartilhou uma receita de pizza de couve-flor. Confesso que no começo da dieta tentei fazer uma pizza de couve flor, mas não gostei do resultado. Essa é diferente daquela que eu tentei fazer, e por isso arrisquei... Que bom que arrisquei... pois eu achei ela MUITOOO boa e fácil de fazer. Pra mim, o único problema é que vai queijo e por enquanto eu cortei os laticínios. Mas como eu queria testar e não sou neurótica e nem tenho intolerância a lactose, fiz com queijo mesmo e comi. Na cobertura coloquei bemmm pouquinho e na massa diminuí do que ele sugeriu. Mas nos finais de semana, a gente não precisa ser tão rigoroso, né? Pelo menos eu tenho aprendido que o equilíbrio é a melhor solução. Só mais uma coisa, eu uso muito orégano fresco, se encontrarem pra vender provem, vale muito a pena pelo sabor... sobre a pizza usei ele fresco... 

Ingredientes para a massa:
1/2 couve flor crua
1 ovo
50g de queijo ralado de pacote
1 colher de sobremesa de orégano seco
Sal e pimenta a gosto



Preparo:
1. Pique a couve flor com uma faca e leve ao processador até ficar parecido com uma farinha.
2. Acrescente o ovo, o queijo, o orégano, o sal e a pimenta.
3. Misture bem até ficar uma massa homogênea.
4. Coloque a mistura em um refratário redondo untado com azeite de oliva (eu coloquei naquela base de silicone para assar, não precisa untar)
5. Leve ao forno (180 graus) por 20 a 30 minutos, ou até ficar uma casquinha dura por cima.
6. Retire do forno e coloque o recheio a gosto (fiz com molho natural de tomate, queijo, atum e orégano)
7. Leve ao forno novamente (com dourador ligado) até derreter o queijo. 


Espero que tenham gostado... Um grande beijo a todos!!

quinta-feira, 13 de março de 2014

Mousse, leite e farinha de coco natural

Bom dia galera
Vocês sabem que estou nessa vibe Paleo, evitando industrializados e tal, né? Eu realmente acredito que todos esses aditivos, conservante, acidulantes e outros "antes", não fazem bem ao nosso corpitcho. Confesso que não sou xiita, vocês já me conhecem, mas tem coisas que são muito mais saborosas quando feitas em casa. Quem consegue misturar leite de coco (industrializado) com água e tomar? Achando gostoso, é claro.... Eu não consigo, só usava leite de coco em algumas receitas. MAS, depois que fiz esse leite de coco caseiro, #semrotulo fiquei apaixonada!!!!! Vontade era de tomar purinho, sem adoçante, nem nada!!!! Quem sente falta de tomar leite, tem aqui uma ótima ideia!!! 
Sugestões para beber o leite de coco fresco:
- Bater, no liquidificador, com canela e gelo.
- Bater com morangos.
- Bater com a banana verde (ler sobre amido resistente aqui, aqui e aqui)
- Bater com cacau e adoçante (será que vira um Nescau?)
Bem, vou passar o passo a passo do leite de coco e depois segue uma receitinha MARA de mousse de coco SEM Lactose, SEM creme de leite, SEM carboidratos.... só de vento, hehehheheh
Ingredientes para o leite de coco
1 coco seco inteiro (aquele com a casca marrom)
1 1/2 xícara de água fervente
Preparo
1. Quebre o coco.
Para facilitar, algumas sugestões que me deram:
a) Coloque o coco inteiro no freezer antes de quebrar para soltar mais facilmente.
b) Aqueça o coco na boca do fogão e depois quebre (no chão)
c) Coloque em um saco e jogue pela escada de incêndio.
Como eu fiz: chamei o marido e pedi para quebrar, ele fez com martelo e chave de fenda. Depois eu terminei com um batedor de carne. Não fiz nada do que sugeriram e tirei a polpa do coco com uma faca de ponta. Saiu tranquilo.
2. Pique a polpa (com aquela casquinha marrom fininha junto, e coloque no liquidificador.
3. Acrescente a água fervente e deixe descansar por uns 15 minutos.
4. Bata no liquidificador por 1 minuto.
5. Coloque a mistura em um pano limpo para coar sobre uma bacia.
6. Esprema bem, até a polpa do coco ficar bem seca.
7. O leite de coco está pronto, coloque em um recipiente de vidro e leve à geladeira por alguns dias.
8. Se for usar logo o coco ralado, guarde em um recipiente fechado na geladeira. Caso prefira secá-lo, coloque um uma forma e leve ao forno na temperatura 100° até secar. Mexa de vez em quando.
Não sei bem o prazo de validade porque aqui em casa não dura muito tempo, consumo bem antes.... Quem souber conta pra gente aqui nos comentários.
Agora vamos ao mousse
Ingredientes do mousse de coco funcional
4 claras
200 ml de leite de coco caseiro
1 colher de sobremesa de gelatina incolor
Preparo
1. Bata as claras em neve.
2. Dissolva a gelatina em 5 colheres de sopa de água e leve ao micro ondas por 15 segundos.
3. Misture o leite de coco com a gelatina dissolvida. Adoce a gosto.
4. Delicadamente incorpore o leite de coco às claras em neve.
5. Leve à geladeira por 1 hora. Misture novamente com uma colher, para a gelatina incorporar melhor.
Eu sugiro que quando você for comer, coloque em um potinho e deixe no congelador por 15 minutos. Fica como um sorvetinho, sem ficar duro como uma pedra!!!
Coloque os ingredientes no FatSecret para ter uma noção, e devo dizer que é para comer rindo, hehehhehe. Acho que nunca fiz alguma coisa tão saudável. Acredito que renda umas 5 porções, então dividi por 5 só para ter uma ideia melhor.
Sobremesa inteira:
1g de Carboidratos
17g de Proteínas
55g de Gorduras
589 Kcal
Cada porção:
0g de carboidratos
3,4g de proteínas
11g de gorduras
117 Kcal
PERGUNTAS FREQUENTES:
Pode comer na indução?
R- Pode
Quanto disso posso comer na indução?
R- Não sei, depende de tudo o que você comer durante o dia, suas metas, e tal. 
Posso fazer o mousse sem a gelatina?
R- Não sei, nunca testei, mas acho que não vai ficar bom.
Posso fazer com leite de coco industrializado?
R- Pode, mas aí perderia todo o sentido do do natural.