terça-feira, 30 de outubro de 2012

Comidinhas Atkins que não precisam de receita: tomate recheado com bife de porco


A amiga Ana Paula, postou lá no grupo Flex do facebook o seu prato prático ultra fácil, achei que licou apetitoso e resolvi postar aqui. 
Ela fez Tomate recheado (creme de leite, maionese, requeijao, queijo prato, parmesao e azeitonas, oregano.... e forno!!) com alface e bife de porco com bacon e geleia de pimenta!!!




Comidinhas Atkins que não precisam de receita: filésinho no catupiry com brócolis


Uma homenagem a amiga Alessandra Gasparini, que morre de preguiça de cozinhar, mas que é uma fiel Atkins. Sua "Comidinha Atkins que não precisa de receita" é: colocar o filé de frango (já temperado do supermercado) num prato, colocar catupiry em volta, e mais uns brócolis (congelados). Levar ao microondas por alguns minutos até ficar cozido.
Afff, quanta trabalheira, heheheheh.
Obrigada amiga, TE ADORO!!!


É uma gata essa Gasparini...


segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Comidinhas Atkins que não precisam de receita: peito de frango com ovos en cocotte e salada


Mesmo que eu já tenha postado a receita dos ovos en cocotte, acredito que vale a pena lembrar, é muito fácil e depois que quem fez a primeira vez nem precise mais olhar na receita de novo. 
Segue ideia de jantinha ou almoço ultra fácil!!!

Filé de peito de frango frito na manteiga, ovos en cocotte e 
salada de tomate.


Fase: Indução/PPC/Manutenção

Comidinhas Atkins que não precisam de receita: linguiça com salada

Olá amigos esse post será o primeiro desta série de dicas de pratos que são tão fáceis que não precisam de receita. Muitas vezes faço alguma coisa rapidinho e fico pensando, como não pensei nisso antes. Aí me pergunto será que meus amigos Atkins também pensaram nisso? Segue o primeiro prato ultra fácil para variar nossa dieta.
beijocas!!!


 Dicas: pode cozinhar a linguiça no microondar por 1 ou 2 minutos,corte elas ao meio e frite numa frigideira. A alface corte em tirinhas que irão parecer fios de macarrão!!
Fase: Indução/PPC/Matutenção

sábado, 27 de outubro de 2012

Cheesecake de Limão na Casquinha de Amendoim



 Olá amigos, comprei uma farinha nova, farinha de amendoim e tentei fazer umas receitinhas porque ela tem menos carbos do que a farinha de amêndoas.

Ingredientes
Base
50g PIS
100g farinha de amendoim
50g manteiga temperatura ambiente
1 ovo
Adoçante a gosto

Recheio
1 pote cream cheese
1 caixa de creme de leite
2 ovos
Suco de 2 limões (ou 1 pacote de suco cligh)
Adoçante a gosto 

Preparo

Misture os ingredientes da base, lembarndo que a manteiga precisa estar em temperatura ambiente;
Forre uma forma (se quiser desenformar precisa ser com fundo removível) com essa massa, fure com um garfo o fundo para não levantar na hora de pré-assar;
Asse por 10 a 15 minutos em forno pré-aquecido a 200° a base que será a crosta da cheesecake; 
Bata os ingredientes do recheio, ovos, creme cheese, creme de leite, limão, e se necessário acrescente adoçante a gosto
Leve ao forno novamente por mais 20 minutos ou até começar 
a dourar ou "rachar". Retire do forno e deixe esfriar antes de desinformar.
Delícia, só comer!!!!!



O Cheesecake tem história! Os gregos antigos já apreciavam um certo bolo doce, à base de queijo fresco, mel, farinha e ovos. Escritos contam que [acredite se quiser] pequenos desses bolos de queijo foram servidos aos atletas dos primeiros jogos olímpicos da história, em 776 a.C.!
 
Documentos romanos do início da era cristã também falam de dois bolos doces de queijo, Libun e Placenta, que eram ofertados aos deuses nos templos, e cujo preparo era muito semelhante ao nosso Cheesecake. Acredita-se que a receita se espalhou pela Europa através da dominação romana, sempre com variações do queijo, conforme a região [no século XVI, um livro de costumes da vida doméstica inglesa no período Tudor apresenta uma receita de torta de queijo doce. E na França, na idade média, a torta de queijo era preparada com um queijo cremoso chamado Neufchatel, típico da região homônima].

 
Nos Estados Unidos, variações de tortas de queijo chegam trazidas pelos povos colonizadores. O desenvolvimento de um queijo cremoso pasteurizado, o famoso Philadelphia,  por leiteiros nova-iorquinos no século XIX, definiu o principal queijo a ser utilizado nas receitas. O famoso NY Style Cheesecake, receita dos judeus de Nova Iorque, tem o Philadelphia, ou cream cheese, como ingrediente principal.
A versão ATkins pode ser chamada de Americana pois também vai creme cheese!!!
 
 

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Sorbeto al Limone: Sicília Atkins



Um sorbet é uma iguaria gelada feita à base de frutas. Tipo um irmão do sorvete, com algumas diferenças: é preparado com água e não contém gorduras (a versão não-Atkins!!!).




Eu tive mais contato com o Sorbet na Itália, chamado de Sorbetto. Lá além do sorbetto de limão é muito comum a granita de amêndoas (mas esta receita ainda estou elaborando).  
Mesmo não sendo à base de água e frutas é possível fazer uma versão Atkins para o Sorbetto Italiano, para chegar na textura ideal é fundamental utilizar o Emulsificante. 
*Se utilizar o suco pode ser usado na fase de indução, caso utilize o 
limão aconselho para a fase de PPC.

Ingredientes
2 caixas de creme de leite (geladas)
1 pacote de suco Cligh Limão (ou suco de 2 limões)
Adoçante a gosto (opcional)
2 colheres de emulsificante
1 copo de água
Raspas de limão a gosto

Preparo
Diluir o suco na água;
Bater o suco, o creme de leite, e adoçante (se necessário);
Acrescentar o emulsificante e bater por 3 minutos;
Colocar na geladeira;
 (se quiser coloque o sorbetto no freezer 1 hora antes de servir); 
 



A proveniência é contextada como a maioria das iguarias que ultrapassam a barreira do tempo. Alguns estudiosos acreditam que vem dos árabes a palavra  "sherbeth" (bebida fresca), alguns dizem que vem dos turcos a partir da expressão "sharber" (sorver), outros indicam ligação com a expressão latina ”sorbeo-es-sorbui” (srover e sugar). Em qualquer caso sabe-se que o nome "sorbetto" começa a ser usado na Idade Média para falar de bebidas para sugar feita de frutas frescas.

A primeira receita escrita de sorbetto italiano aparece em 1570 no livro "Opera" de Bartolomeo Scappi. No século XVII conquistou o paladar da burguesia raças aos novos conhecimentos tecnológicos e os menosres custos dos ingredientes.




O Siciliano Francesco Procopio dei Coltelli através de “Café Procope”, aberto em Paris em 1686 que difundiu o consumo de "sorbetos" especiais na burguesia européia. Até mesmo Luiz XIV assegurou um fornecimento exclusivo à côrte da "água gelada".


Diferentemente do sorvete, seu parente próximo destinado para a sobremesa, os sorbets são indicados para compor a refeição. Os franceses costumavam servir o sorbet como um entremets, ou seja, um entrepratos. Entre um prato e outro, um sorbet para limpar o paladar.

Há três tipos diferentes de sorbet:

Sorbet -
possui uma quantidade acentuada de vinho e licor

Spoom -
Sorbet em que a massa é mais espumosa

Graint -
os pequenos cristais de gelo da massa são quase líquidos

 

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Panqueca de Amendoim

Bom dia, chegou minha encomenda de farelos e junto veio a farinha de amendoim. Ela é muito prática, tem um aroma divino e tem menos carbos livres (+/- 2g /1 colher sopa) do que a farinha de amêndoas. Mesmo não tendo enjoado da Omelete de Canela no meu café da manhã, hoje resolvi tentar com amendoim, 
eu gostei... e você? Procurei para vocês um pouco sobre a história da panqueca lá no final do post.


Ingredientes

2 ovos
1 colher de creme de leite
1 colher de sopa de farinha de amendoim
1 colher de sobremesa de PIS ou fibra de trigo
1 colher canela
10 gotas de adoçante liquido Linea


Preparo

 1. Misturar todos os ingredientes;
2. Colocar em uma frigideira baixa ou panquequeira em fogo baixo;
3. Vire quando começar a ficar mais firme;
4. Prepare a cobertura com 1 colher de creme de leite, canela a gosto e 5 gotas de adoçante;
5. Despeje por cima da panqueca e decore com farinha de amendoim.



 



 Evidências arqueológicas indicam que a massa de panqueca deva ter surgido ainda na pré-história, onde uma mistura de sementes secas era adicionada a ovos e leite ou água e eram cozidas em panelas de barro mais rasas, formando uma massa nutritiva e com sabor interessante.
 
Há também, quem defenda a ideia que as panquecas surgiram há 9.000 anos na Europa, provavelmente na França, quando, acidentalmente uma mulher derramou mingau no fogão e percebeu que cozinhava muito rápido e transformava-se em uma massa de fácil manuseio e com paladar agradável.
 No século 15, as panquecas eram conhecidas por toda a Europa. Já foi até descoberto um manuscrito inglês sobre gastronomia, de 1430, que cita a panqueca como um alimento bem popular naquela época.
 

Mas foi por meio dos chefs franceses, que sofisticaram bastante essa receita, no começo do século 20, que as panquecas ganharam popularidade. Nessa época elas chegaram com força nos Estados Unidos e de lá ganharam o mundo. Por isso, se pensa que a panqueca é uma invenção norte-americana.
Por todos esses anos, a receita original continua sendo mantida, com uma outra adequação na massa, mas muita inovação nos recheios.
Panqueca é um tipo de massa frita com pouco óleo sobre uma chapa ou frigideira quente. A massa é feita basicamente com ovos, farinha e leite. Existem muitas variações regionais de panquecas, algumas contendo fermento ou outros ingredientes.
 
As panquecas estilo americano levam geralmente chocolate ou mel como molho, que dão sabor especial às panquecas. Essas são chamadas de american pancakes, lá nos  Estados Unidos. No resto do continente americano, principalmente na América do Sul, a panqueca é totalmente diferente das panquecas norte-americanas. 
Aqui no Brasil, as panquecas geralmente são salgadas, levam ovo como ingrediente principal e são enroladas. Os recheios predominantes são carne ou frango. Outra diferença importante é que na América do Sul a panqueca é servida no almoço ou no jantar e não no café-da-manhã, como nos Estados Unidos e Canadá.
Mas a panqueca foi praticamente reinventada no Brasil. E por causa do recheio mais tradicional de carne moída (nesta foto o recheio é com carne seca) e molho de tomate com queijo, muita gente acha que se trata de uma receita italiana. Mas nada disso e aqui a panqueca ganha até calda de sorvete. Talvez o Brasil seja o país com a maior variedade de molhos para panquecas e crepes. E esse é um fato comentado no mundo inteiro. A panqueca brasileira se tornou uma referência.
  Fonte:
http://www.companheirosdoverde.com.br/cdv/index.php?option=com_content&view=article&id=311:a-hiatoria-da-panqueca&catid=42:gastronomia&Itemid=60

domingo, 21 de outubro de 2012

O que é PIS?

Boa tarde amig@s, é muito comum que as pessoas que estão iniciando esta dieta não conheçam os farelos, farinhas e fibras que são bastante utilizados nas nossas receitas. Eu fiz um post que separa as fibras, farinhas e farelos de acordo com as fases da dieta Atkins.Mas a PIS bate o recorde de perguntas, além de não ser baratíssima, ela ainda é difícil de encontrar em alguns lugares do Brasil. Este post vai tentar esclarecer o que é e onde você pode encontrar.


A Proteína Isolada de Soja - PIS dentre os farináceos da nossa dieta é aquela que mais se aproxima da farinha tradicional em relação a textura. A PIS não tem carboidratos e pode ser usada na Indução. Várias receitas podem ser feitas, tanto doces quanto salgadas, aqui lo blog postei apenas o Salgado de PIS com Frango e Azeitonas, mas já provei e aprovei a panqueca de PIS que ainda não postei porque estou testando as quantidades. Minhas amigas de dieta também já fizeram bolos, pães, empadas, etc.


 A proteína isolada de soja (PIS) é produzida a partir dos flocos de soja através de um processo que utiliza extração aquosa e aquecimento mínimo. Este produto é praticamente livre de carboidratos e de gordura, tendo 90% de proteína em peso seco. 
Segundo a ANVISA, a proteína isolada de soja é a fração protéica da soja por processo tecnológico adequado. 


Este tipo de proteína de soja é de origem vegetal de alta qualidade que ajuda na formação e manutenção da massa magra e do tecido corporal magro. Sua função nutricional é como fonte de aminoácidos essenciais e nitrogênio para síntese de tecidos e outros componentes necessários para o funcionamento e crescimento normal do organismo. A PIS possui qualidade equivalente às proteínas da carne, leite e ovos. Ela possui PDCAAS de 1.0, que é o mais alto escore que uma proteína pode possuir, pois apresenta os aminoácidos necessários para adultos e crianças.
É considerada uma proteína de alto valor biológico. Este produto é um excelente repositor de proteínas para pessoas que fazem atividade física e desejam aumentar a massa muscular e pessoas com necessidades de um aporte proteico maior. Dos vinte aminoácidos que o ser humano requer, onze são produzidos pelo nosso corpo; os outros nove devem ser obtidos pela alimentação. A proteína isolada provê todos os noves restantes, tornando-se uma proteína completa.
 
A ingestão regular de PIS pode aumentar a produção endógena de Tiroxina (T4), hormônio estimulante de tireóide (TSH) e Triodotironina (T3), e manter a insulina estável quando comparada a outros tipos de proteína como caseína e proteínas de peixe. O hormônio Tiroxina é o principal regulador da taxa metabólica, ou seja, quanto mais Tiroxina, mais rápido o metabolismo. Este suporte é bastante útil para atletas em fase de definição muscular quando se tenta perder o máximo possível de gordura corporal. A proteína isolada de soja causa uma maior retenção de nitrogênio e maior perda de gordura corporal durante uma fase de pouca ingestão calórica quando comparada com Caseína.
  
A proteína Isolada de Soja fornece grandes quantidades de:
• Arginina: o aminoácido tem um papel-chave na estimulação da liberação de hormônios anabólicos que promovem a formação muscular. A arginina ainda desempenha vários outros papéis importantes na vida dos atletas, como auxiliar na redução do estresse fisiológico, melhorar a saúde dos vasos sanguíneos e aumentar a função imunológica;
• Glutâmina: é um aminoácido considerado fundamental durante o estresse metabólico, pois aumenta o balanço nitrogenado, promove a síntese protêica e aumenta a função imunológica, além de ser precursora da glutationa, que possui efeito antioxidante. Para os atletas um fator importante é o fato de a glutamina auxiliar na manutenção da hidratação celular e tamponar o aumento excessivo do ácido lático que ocorre durante o exercício;
• Aaminoácidos de cadeia ramificada (Leucina, Isoleucina e Valina): os aminoácidos de cadeia ramifica, leucina, isoleucina e valina, são usados como fonte de energia durante o exercício físico. Nos primeiros 15 minutos de exercício, de moderado a intenso, o glicogênio muscular fornece a glicose para o abastecimento do músculo. Após 15 minutos de exercícios, os ácidos graxos e os aminoácidos de cadeia ramificada são utilizados como maior fonte de energia.
Demais benefícios à saúde dos atletas: prevenção de doenças cardíacas, diminuição significativa do colesterol total, LDL colesterol, triglicerídeos, não afeta o HDL colesterol, reduz o risco de doenças cardíacas coronarianas através da promoção de uma redução significativa nos níveis de colesterol plasmático. 
Na Universidade Federal do rio Grande do Sul, em 2009 foi feita uma pesquisa de doutorado - "Efeitos do consumo de proteína de soja isolada sobre os níveis de lipídios séricos em mulheres" comprovou  que o consumo de proteína de soja isolada é mais efetivo do que a proteína total do leite, após quatro semanas, melhorando os nívies de colesterol total em mulheres adultas.
Onde Encontrar?
Em casas de produtos naturais.
 No entanto o preço está na média R$35,00 kg. Mesmo não ganhando nada com propagando eu recomendo o site Cia do Natural, pois foi onde encontrei o preço mais barato: R$17,00kg (R$1,70 /100g).  Para acessar o site, clique aqui.


sábado, 20 de outubro de 2012

Sopa de Beringela com Linguiça: Totalmente Indução



Boa noite amig@s, quando fui na minha mãe semana passada assaltei sua horta e trouxe uma sacola de beringela, já fiz a receita da Beringela en Cocotte, mas não sabia mais o que fazer. 
Como adoro sopa, principalmente a noite, então tentei essa, 
ficou MARA!!!

 
Ingredientes
1 Beringela grande 
1 Cebola picada
1 Dente de aho picado (opcional)
1 Tomate picado
5 cm de linguiça picada (ou a gosto)
Sal e pimenta a gosto
1  Caldo "Knnor" sabor carne
2 colheres de sopa de creme de leite (ou nata ou requeijão)
500 ml de água fervendo
 

Preparo
Aqueça o azeite numa panela frite a linguiça, junte o alho, 
a cebola e deixe dourar.
Acrescente o tomate e a berinjela. 
Cozinhe, mexendo de vez em quando, por uns cinco 
minutos até amolecer. 
Tempere com sal a gosto. 
Junte a água e deixe levantar fervura. 
Cozinhe em fogo médio por uns 20 minutos. 
Retire do fogo e bata apenas metade no liquidificador. 
Junte tudo e no final acrescente o creme de leite.


Ovonese Atkins

Gente passei só para deixar uma ideia para o domingo!!! Semana passada estava na praia com toda a família, meu irmão fez uma maionese caseira, cozinhou as batatas e deixou separado. Peguei dois ovos cozidos, surrupiei um pouco da maionese que ele preparou, coloquei salsinha e matei a vontade de comer a "Maionese" de domingo.
Espero que gostem, outra ideia bem legal é a bananonese da amiga Suian, clique aqui!
Devo esclarecer que é possível fazer no liquidificador, mas meu irmão sempre faz a mão (com garfo), então resolvi postar do jeitinho que ele faz.

Ingredientes
8 ovos
Óleo de soja
Azeite de oliva
1/2 limão
Sal a gosto


Preparo
1. Cozinhe 7 ovos e reserve apenas 1 gema crua e separe 3 gemas cozinhas em um prato;
2. Coloque a gema crua junto com as 3 gemas cozidas;
3. Pique grossamente o restante dos ovos cozidos (reserve);
4. Amasse as gemas, vai adicionando aos poucos o óleo de soja,
deve ser sempre aos poucos (umas 3 cs por vez);
5. Com movimentos circulares continue adicionando o óleo e girando o garfo,
vai formando um creme amarelinho;





6. Quando já ficar com textura de creme comece a intercalar o azeite de oliva, coloque 3 cs por vez e mexa para incorporar;
7. Quando tiver numa quantidade e textura desejada adicione o suco de 1/2 limão, mexa, ele vai clarear e ficar parecido com a maionese comprada no supermercado;
8. Regule o sal;
9. Antes de servir misture com os ovos picados.



 Pode colocar salsinha picada na ovonese ou ainda palmito picado.

*Caso não endureça, coloque uma pedrinha de gelo, quando endurecer retire o gelo.

Bom Apetite!!


Fases: Indução, PPC e Manutenção.

Racapeta: Oktoberfest Atkins!!!


Bom dia pessoal, mesmo sem tempo achei uma receita esta semana para testar. ADOREI!!! Eu já gosto de carpaccio de todos os tipos, quibe cru, então foi fácil gostar desse prato. 
 Acho que os pratos exóticos ajudam a gente a saborear os alimentos sob outra perspectiva, já que estamos reaprendendo a comer vale a pena provar algumas iguarias de outras culturas. Ah, esse prato é TOTALMENTE INDUÇÃO!!!

Meu bisavô por parte de pai era um engenheiro que veio ao Brasil para contruir algumas ferrovias aqui no sul, além disto ele trabalhou na contrução da ponte Hercílio Luz aqui em Florianópolis. 
Meu avô conta que era um garoto de calças curtas que brincava no canteiro de obra da ponte. 


Por causa da guerra meu bisavô não voltou mais à Alemanhã, e é por isso que eu estou aqui \o/, no entanto uma parte da nossa família ainda mora lá. A cultura alemã sempre esteve muito presente na minha cidade e na minha família, mas eu ainda não tinha experiemntado a
 Hackepeter (Racapeta). 

A Alemanhã agora também está representada neste blog com a Racapeta!!!

 Ingredientes
1/2 kg de carne moída (patinho ou cochão mole)
1 cebola picadinha
Alcaparras a gosto (3 colheres)
1 gema de ovo 
Salsinha a gosto
Cominho a gosto (seco ou fresco)
Pimenta do reino a gosto
1 colher de sopa de erva doce seca (opcional)
1 colher de sopa de manjericão (opcional)
Suco de 1 limão (ou 1 dose de conhaque)
3 colheres de sopa de azeite de oliva
Sal a gosto
    
 

 Preparo
Coloque a carne em uma travessa, misture a cebola e a alcaparra. 
Adicione o restante dos ingredientes, menos o sal. Por último acrescente o sal e misture mais uma vez. O sal deve ser colocado por último porque a gema da a liga e não deixa o sal desidratar a carne.
Separe por porções, coloque em um pote, ou travessa redonda apenas para dar a forma de cada porção, pode untar se quiser. Com o fundo de um copo aperte no centro para dar a forma. No buraco você pode colocar a gema sem quebrá-la. Tempere a gema com um pouquinho de sal e pimenta. 
(Quem não gostar de gema crua pode não colocar, 
mas eu acho que vale a pena experimentar)
Sirva, pode acompanhar torradinhas Atkins feitas com pão de indução ou apenas com uma salada de tomates ou de erva doce!!
O tamanho da proção vai depender do restante da refeição, se tiver outros pratos pode ser menor, se for acompanhar só com salada precisar ser maior, pelo menos 120g de carne por porção.

  
O mês de outubro é o mês da Oktoberfest, a maior festa alemã das américas.  Inspirada na Oktoberfest de Munique, na Alemanha, a versão blumenauense nasceu da vontade do povo em expressar seu amor pela vida e pelas tradições germânicas. Inspirada na maior festa da cerveja do mundo, a Oktoberfest de Munique, deu seus primeiros passos em 1810, no casamento do Rei Luis I da Baviera com a Princesa Tereza da Saxônia. Sua primeira edição em Blumenau foi realizada em 1984. Consagrada como a segunda maior festa alemã do mundo, a Oktoberfest é a confraternização de gente de todas as partes.

Hackepeter ou Mett, é um prato típico alemão feito a base de carne crua e temperos fortes. Na Alemanha este prato é servido com carne de porco, já no Brasil, devido ao baixo consumo de carne suína é servido sempre com carne bovina. O nome para o prato foi variado em algumas regiões para Bife Tatar, que na verdade é a mesma coisa só varia alguns ingredientes. Em vários lugares do país é possível experimentar essa iguaria com características diferenciadas de lugar para lugar.
Em Santa Catarina, nas cidades da colônia alemã é muito comum encontrar este prato em  restaurantes. Cada lugar serve a sua maneira, mas a origem do prato é a mesma. Muitas receitas foram passadas de geração para geração e não existe ao certo um modo certo de preparo. O mais tradicional é: carne (patinho ou coxão mole) muito bem moída, uma dose de conhaque ou limão para esterilizar a carne, cebolinha picada, cebola picada, uma colher de sopa de alcaparras, molho inglês, azeite de oliva, sal a gosto, pimenta do reino, páprica picante e por cima da carne uma gema de ovo para dar liga. Após unir todos os ingredientes no prato em que será servido, misturar toda a carne com todos os temperos servir com pães com sete grãos pretos ou com ervas. 
Por ser um prato cru gera muita repulsa a quem vê antes de experimentar. Para quem não sabe, todo o processo de mistura de ingredientes faz o cozimento da carne quimicamente. Pode ser um bom prato para variar o cardápio, além de ser de fácil preparo, pode ser uma boa pedida para quem gosta de experimentar pratos exóticos.

add..colaboração da amiga Cleide!!

A origem do prato é curiosa, pois vem dos tártaros, povo nômade da Ásia Central que se alimentava de carne crua, armazenada sob o lombo do cavalo, onde o alimento durava mais e amaciava ao longo do dia. Com o tempo veio a ideia de adicionar algumas especiarias e o ovo, sendo criado o steak tartare. O povo da época creditava a ingestão de carne crua a grande força dos tártaros liderados por Átila, o rei dos Hunos, e começou a difundir o prato entre quem sonhava ganhar a força desses nômades.
Para os puristas europeus, a carne utilizada deveria ser a de cavalo, com sabor mais adocicado e suave. O steak tartare é um prato versátil, pois pode ser servido como aperitivo, entrada ou prato principal. O que se altera é o tamanho das porções e seus acompanhamentos. 
Geralmente é servido com fritas e salada verde.
É um prato muito apreciado na França e na Bélgica, sendo neste país conhecido como filé americano. Na Alemanha encontra-se uma variação que se chama mett e utiliza a carne crua suína. No Brasil, particularmente em Santa Catarina, encontramos a Hackepeter, que para se adequar ao paladar dos brasileiros utiliza carne de gado, incluindo na receita páprica e até conhaque em algumas receitas. É servida com fatias de broa de centeio e muita cebolinha picada. A Hackepeter e a carne de onça são exatamente a mesma receita sendo esta última é conhecida como um prato tipicamente curitibano.