sexta-feira, 19 de abril de 2013

Lasanha de abobrinha

Olá amig@s

Essa receita é um clássico, porém eu nunca tinha preparado. Acredito que muitas pessoas que fazem a dieta já conhecem essa receita. Mas para quem nunca fez, achei legal trazer esta dica à vocês. Além da berinjela (receita aqui), a abobrinha é deliciosa na lasanha. Como sempre aprendo alguns efeitos novos no Photoshop, acabo treinando/ brincando nas imagens das receitas. Tudo para deixar o blog cada vez mais lindo para vocês!! Espero que gostem.







 Ingredientes
1 abobrinha italiana cortada em fatias de 0,5 centímetro
1 xícara de queijo mussarela ralado
1/2 xícara de molho de tomate (caseiro)



Preparo
1. Nesta ordem coloque camadas dos seguintes ingredientes:
molho de tomate
abobrinha
queijo
abobrinha


2. Continue intercalando:
 molho de tomate
queijo
abobrinha
molho de tomate


 3. Finalize com uma camada generosa de queijo.
4. Leve ao forno (200°), por 40 minutos ou até dourar.


 Fases:

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Requeijão caseiro

Bom dia amig@s

Essa receita é MUITO fácil. Muitas pessoas me perguntam se podemos comer requeijão na indução, ou ainda, qual o melhor requeijão. Na verdade, o Dr. Atkins não recomenda queijos processados, e se usarmos nossa famosa lógica, o requeijão também não poderia ser utilizado. O problema é que ele é prático e fundamental em muitas receitas. Assim, até hoje, procurei marcas que não contivessem amido na sua composição. O requeijão Catupiry é muito bom e o queijo Catupiry (da mesma marca) é ótimo. O preço deste último varia em torno dos 14,00 cada pote e eu acho caro. Ontem uma linda seguidora (é você Clarissa) me perguntou se eu não tinha alguma receita de requeijão fake. Eu já tinha ouvido falar nos grupos que faço parte, mas nunca tinha prestado atenção. Ontem fui atrás, e achei a receita bem interessante, fiquei curiosa. Hoje testei e o resultado foi surpreendente. Dei para minha filha provar e perguntei: Filha, ficou bom como o requeijão? Ela disse: Não. DESANIMEI. Ai ela disse em seguida... FICOU MUITO MELHOR QUE O REQUEIJÃO!!! Nada como a sinceridade infantil. O vídeo da receita original esta aqui, mas nessa receita vai aquele queijo processado em fatias. Como na nossa dieta não podemos comer queijos processados, fiquei pensando se com a mussarela tradicional também daria certo. E para a nossa alegria, deu super certo. Bem, espero que gostem. Vocês podem acrescentar outros queijos e assim saborizar seu requeijão caseiro.



Ingredientes
1 lata de creme de leite sem soro
1 xícara de queijo mussarela ralado


Preparo
1. Misture o creme de leite com o queijo.
2. Leve ao micro ondas por 1 minuto. Misture novamente.
3. Leve à geladeira e conseve em um recipiente fechado por até 1 semana.

(Se for necessário deixe mais 30 segundos até derreter o queijo por completo)






Este é o rótulo de um requeijão que eu considero de boa qualidade. Isso quer dizer que ele não tem amido na composição. Mas, percebam que mesmo assim é cheio de leite, sódio, estabilizantes, etc.


Fases:



Gente, esqueci de dizer... essa receita veio do Japão... e essa semana inaugurou um grupo no Facebook das meninas que moram lá: Atkins Japão. Para participar acesse o link abaixo.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Cheesecake sem farinha de limão e chocolate

Boa tarde amig@s

Estou devendo essa receita às minhas amigas da Flex que quase me mataram porque não postei ontem, heheheh. Quero mandar um beijo para a Fatima Guimarães, Ana paula Giubilei, Rosana Fonseca e a Sher Lófira. Essa receita dedico à vocês!! Eu já fiz outras vezes a cheesecake, mas acho bem chata a parte da crosta, além do que estou evitando as "farinhas". Por isso fiz essa versão mais simples, rápida e MUITO saborosa. Depois de gelada, ela parece com a Torta Alemã, vocês conhecem? É bem tradicional aqui do sul, visto que nossa colonização é na maior parte germânica e italiana. Se tivesse colocado essência de champagne ou rum, no lugar do limão, teria ficado idêntico. Espero que gostem, beijocas!!

Ingredientes

Para a cheesecake de limão
400g de creme cheese fake (ou Philadelfia)
100ml de creme de leite (pode ser nata)
2 ovos
Suco de 1 limão
Essência de limão a gosto
Adoçante a gosto (Doçurinha)

Para a ganache de chocolate
40g de chocolate sem açúcar (85% OU 3 cs de cacau em pó)
100 ml de creme de leite 
2 colheres de sopa de manteiga derretida
(Adoçante - OPCIONAL)


Preparo
1. Misture os ingredientes da cheesecake com um batedor de mão, despeje em um refratário ou em potinhos individuais que possam ir ao forno (ramekim)
2. Leve ao forno (150°), por 40 minutos ou até ficar "firme".

Para a ganache
3. Em um recipiente de vidro coloque o chocolate e a manteiga, leve ao microondas por 30 segundos (ou mais, até derreter o chocolate). Misture.
4. Acrescente o creme de leite e misture bem. 
5. Se preferir coloque um pouco de adoçante. É possível também acrescentar essência de rum a gosto.
6. Coloque, a ganache, sobre a cheesecake e leve à geladeira.


Sugestão:
Compre potinhos de vidro com tampa de plástico, assim você poderá assar a cheesecake no potinho, colocar a cobertura e levar de lanche quando não estiver em casa.





Fases:

terça-feira, 16 de abril de 2013

Lasanha de palmito low carb

Boa tarde amig@s

Quando a receita é um sucesso, não vejo a hora de vir aqui dividir com vocês!! Mas quando, além de ser um sucesso, a receita é fácil de fazer, eu fico doida, hehheheheh. Vocês sabem que eu AMO palmito, e quem fez a lição de casa, sabe que o palmito é permitido na indução. Existem basicamente três principais tipo de palmito: de Pupunha, de Açaí e de Palmeira Real. Como a Palmeira Real está em perigo de extinção, não pode mais ser cortada e muito menos comercializada. Nos sobra duas opções: Pupunha e Açaí. Muitas pessoas não gostam do Pupunha, porque não é tão saboroso (quanto o Real), além de ser muito fibroso, vulgo #duro pra burro. Este ano descobri o Palmito de Açaí, bastante econômico (média de preço 9,00), ele é bem macio. Como diz o senhorzinho que me vende, "se tiver um duro ai, pode trazer que eu troco", heheheheh. Querem saber mais uma vantagem? Ele tem menos carbos que o Palmito Pupunha!! Não é ótimo? O Brasil é muito grande e espero que vocês encontrem aí na região de vocês, o que eu compro vem da Amazônia. Como o palmito não é barato, (mesmo não sabendo mais o que é barato nos dias de hoje com o preço do tomate passando os 10,00 kg), sugiro que vocês comprem o palmito já picado para este prato. Ele é quase a metade do preço. Na verdade inventei esta receita porque tinha um vidro enorme de palmito picado e não sabia o que fazer com ele, além de usar na salada. Espero que gostem...


Ingredientes
3 xícaras de palmito picado e escorrido
200ml de requeijão 
100ml de creme de leite (ou nata)
300g de queijo muçarela
100g de presunto (sem açúcar)

Se preferir uma lasanha de molho vermelho, 
substitua o requeijão e o creme de leite por molho de tomate caseiro.


Preparo
1. Misture o creme de leite e o requeijão. Reserve.
2. Coloque em um refratário duas colheres do creme. Sobre ele forre uma camada com metade do palmito.
3. Faça uma camada de creme sobre o palmito.
4. Sobre o creme coloque uma camada de presunto.



5. Sobre o presunto coloque metade do queijo muçarela.
6. Acrescente mais uma camada de palmito, outra de creme e mais uma de presunto.
7. Para finalizar, faça uma camada generosa de queijo muçarela.
8. Leve ao forno (200°) por 30 minutos, ou até dourar o queijo.




Nem deu tempo de fotografar...

Aqui embaixo a versão com molho vermelho. As duas ficaram FANTÁSTICAS!!




Fases:

terça-feira, 9 de abril de 2013

O gosto amargo do açúcar

Bom dia amig@s,
Continuo na minha vida low carb firme e forte. Como já disse antes, não estou testando novas receitas, pois quero ficar no basicão mesmo. Mas estou sempre lendo e pesquisando. Por isso vim aqui hoje dividir algumas coisas com vocês. 
Depois de ler o livro "Sugar Blues" estou me sentindo enganada pela nossa sociedade, e mais... quero "meu dinheiro" de volta!!! Tudo bem, que uma vez ou outra escutamos que não faz bem comer MUITO açúcar, mas ninguém me falou que açúcar é um veneno e que deveria ter evitado em 100%. Alguém já falou isso pra você? Alguém já te explicou porque o açúcar faz mal? Basicamente é assim: todos os processos metabólicos requerem algum tipo de enzima do nosso corpo (as enzimas são substâncias orgânicas que trabalham dentro e fora das celulas e atuam nas reações químicas). Quando a gente come, precisa de enzimas para ajudar, acelerando o metabolismo daquela substância. Já ouviram falar que não adianta tomar cálcio se não tomar junto a vitamina D? Pois é, comer muito queijo não adianta de nada se você não ingerir vitamina D, por isso os suplementos já trazem a vitamina junto, para ajudar na absorção do cálcio. Usei este exemplo para falar que acontece alguma coisa parecida com o açúcar. Quando ingerimos carboidrato refinado (açúcar refinado, farinha branca, arroz branco, macarrão, cereais industrializados), necessitamos de uma grande quantidade de minerais como sódio, potássio, magnésio e calcio nos processos químicos de metabolização. Ácidos neutros são produzidos para tentar estabilizar o fator ácido-alcalino do sangue (nem vou falar do fator acido desencadeado pelo açúcar e o câncer). Também precisamos de enzimas que contém tiamina e outras vitaminas B1. Só para esclarecer, a tiamina é o nome químico da Vitamina B1. Ai você pode me dizer, tudo bem Jully, é só eu tomar mais vitamina B1. E eu te pergunto...  cada vez que você come açúcar, você toma vitamina B1? Imagine você de manhã na padaria, pede um café e coloca uma colher de açúcar. Aí você pára e tira da bolsa uma pílula de B1 para pode suprir a metabolização do açúcar no teu organismo. Ninguém faz isso. Nós comemos o açúcar e foda-se nosso corpo para dar conta de metabolizar (desculpem o palavão, mas é isso que fazemos). 


Bem, vamos continuar aplicando a lógica... Nós ingerimos açúcar, que para ser metabolizado  precisa das nossas tiaminas. As funções da tiamina no organismo são: atuar no bom funcionamento do sistema nervoso, dos músculos e do coração. Quando falta tiamina podemos ter: insônia, nervosismo, irritação, fadiga, depressão, perda de apetite e energia, dores no abdômen e no peito, sensação de agulhadas e queimação nos pés, perda do tato e da memória, problemas de concentração e lesão cerebral. Além de poder desenvolver  diferentes quadros clínicos, incluindo a Síndrome de Wernicke-Korsakoff e o beribéri. Seguindo meu raciocínio lógico, quanto mais açúcar ingerirmos, menos tiamina teremos disponível e mais teremos insônia, irritação, fadiga, dores, etc.

As vitaminas do complexo B são também  produzidas por bactérias simbióticas que vivem nos intestinos. O consumo diário de açúcar refinado faz com que estas bactérias definhem e morram, e nosso estoque de vitaminas B torna-se muito baixo. 


Jully, e os carboidratos naturais, não precisam da Tiamina para serem metabolizados? Sim, precisam, mas, os carboidratos naturais fornecem suas próprias vitaminas B1, enquanto os carboidratos refinados, não! Se você comer avelã, amendoim, laranja ou limão, eles vão usar sua própria tiamina para catabolizar o metabolismo do próprio carboidrato. 
Jully, então eu não posso comer beterraba ou chupar cana de açúcar? Pode, porque o problema está no refino. Para chegar naquele pozinho branco, você sabia que foi removido dele 90% do produto original? Junto com todas as vitaminas e minerais que contem na cana ou na beterraba. Claro que quem faz uma dieta com baixos carboidratos não vai chupar cana, né? Mas isso serve para ilustrar o que eu quero falar.
Muitas pesquisas já foram feitas para comprovar essa relação patologia/açúcar e todas elas encontram íntima ligação.  Várias populações passaram a ter determinadas doenças após a introdução do açúcar refinado na alimentação. Nós mesmos podemos ter dor de cabeça, cólicas fraqueza muscular sem nem saber que a retirada do açúcar pode nos "CURAR". Eu sempre tive MUITAS alergias e MUITAS gripes. A vida toda tomei vários remédios. Antes de iniciar a dieta, sentia uma fraqueza que não tinha tamanho. Levantar da cama era um sacrifício!! Desde quando tirei o açúcar da minha vida, nunca mais fiquei doente. Apenas uma vez contraí uma gripe (virose), mas melhorei antes que todo mundo e após três dias não sentia mais nada. A partir disso (e muito mais informações encontradas no livro), posso afirmar com toda segurança:

BIOLOGICAMENTE, O SER HUMANO NÃO PRECISA DE AÇÚCAR PARA VIVER!!


Gostaria ainda de comentar uma frase que teve grande impacto sobre mim: "O açúcar é pior do que NADA". Eu fiquei pensando - como uma coisa pode ser pior do que nada? Resumidamente eu vou explicar: Observaram que náufragos que se alimentaram com açúcar foram encontrados em piores condições que náufragos que não tinham nada para comer!! O que? é isso mesmo!!! É preferível não comer nada do que comer açúcar, porque o açúcar drena e consome  as vitaminas e minerais presentes no corpo. Fazendo com que nossas reservas durem menos tempo. Isso tudo faz muita lógica, só que eu não tinha parado para pensar nisso. E você, já pensou nisso?



Agora vamos para a pergunta que não quer calar: Jully, se o açúcar é um veneno, é um antinutriente, e faz tão mal para a saúde, porque continua a ser vendido?

Simples, porque este setor movimenta cerca de US$ 8,3 bilhões, 1,6% do Produto Interno Bruto Brasileiro. A cana-de-açúcar se transforma em um milhão de empregos diretos, 511 mil apenas na produção de cana-de-açúcar e os demais distribuídos pela agroindústria de açúcar e de álcool. O agronegócio da cana gera 6% dos empregos totais do país. Somente em São Paulo, movimenta US$ 4,9 bilhões. E o açúcar trouxe para o País, em 2001, cerca de US$ 2,27 bilhões, resultado de exportações. Assim, nossa saúde é sacrificada por uma boa causa, a economia!!

Agora, eu te pergunto: isso é justo? 
Eu acredito que não. 
O que podemos fazer?
Não comer mais açúcar, ora!!

Enquanto você não sabia disso tudo, até poderia entender que ingerisse açúcar, mas agora que você sabe, vai continuar se envenenando?


Título: Sugar Blues: o Gosto Amargo do Açúcar Autor: William Dufty Editora: Editora Ground Edição: 7 Ano: 2009 Idioma: Português Especificações: Brochura | 238 páginas
Sinopse do livro:
"Sugar Blues" é um livro audacioso, profético e chocante, elaborado por um escritor e pesquisador que esmiúça séculos de história secreta, folclores esquecidos, sábias tradições dos antigos e conceitos científicos inconsistentes para trazer à tona a verdade sobre a mais dissimulada droga que dissolve os dentes e os ossos de toda uma civilização: a sacarose refinada, comumente chamada açúcar.
Exaustivas pesquisas desenvolvidas nos grandes centros científicos evidenciam consideráveis vínculos entre o açúcar refinado e as mais alarmantes doenças modernas, que vão da depressão ao derrame cerebral. Entretanto, esta substância antinutriente formadora de hábito é consumida, a cada dia, em praticamente todos os produtos utilizados na dieta do homem civilizado, do pão aos cigarros.
Este livro, hoje um clássico, desmarcara o maior inimigo da nossa geração e, ao mesmo tempo, mostra como uma dieta revitalizante sem açúcar pode não apenas mudar, mas também salvar sua vida.