terça-feira, 26 de novembro de 2013

Quanta proteína, gorduras e carboidratos você come?

Bom dia

Continuo firme e forte na minha nova indução, que aos poucos vou contar, porque as coisas ainda estão em curso. Hoje vim falar das proporções e das quantidades que estou consumindo. Ontem fiz um post sobre alguns erros que podemos cometer em relação ao estado de cetose nutricional (aqui), falei também dos alimentos que podem ajudar nesse período, quem não leu, leia, pois vale a pena. Primeiramente cada organismo é de um jeito e o que vale pra mim, pode não valer para você, então não adianta me perguntar se pode comer isso ou aquilo, se vai engordar ou não, porque eu não sei. Eu tomo café e tudo bem, mas tem gente que toma café e trava ou tem compulsão, sei lá. Falo isso porque MUITA gente me faz perguntas que eu não tenho como responder, primeiro porque não sou nutricionista, nem especialista, segundo porque DEPENDE!! Cada um deve testar e ver como seu corpo reage, ok? Esclarecido isso vamos às proporções. Li no blog "Fat New World" sobre o excesso de proteínas e algumas quantidades no post: "Porque muitos falham a entrar em cetose". Ingerir muita proteína fará com que esse excesso libere glicose, e a cada 2g de proteína consumida, 1 a 1,2g é potencialmente convertida em glicose. Por exemplo, cada 100g de proteína podem ser derivadas 57g de glicose. O que atrapalha consideravelmente a cetose se você comer 300 ou 400g, façam os cálculos. Sobre a quantidade de gordura a se consumir, sempre achei muito difícil saber qual seria o melhor valor, então vi neste post uma proporção que me agradou e facilitou meus cálculos: 

"Uma fórmula eficaz utilizada em quadros clínicos é um consumo de gordura que excede o dobro dos hidratos de carbono mais metade da proteína, por exemplo, 300g de gordura, 50g de hidratos de carbono e 100g de proteína. Tendo isto em conta, é transparente a razão porque muitos dos que utilizam as dietas cetogénicas para fins estéticos falham em atingir a cetonúria ideal: demasiada proteína". 



No meu caso, tenho 69kg (arredondados, heheh), estou comendo em média 20g de carbos (indução), isso quer dizer que devo comer 178g de gordura. Sobre a quantidade de proteína eu não expliquei: assim, algumas dietas low carb sugerem que se coma 0,8g por cada quilo de massa magra. Eu tenho 40kg de massa magra, então deveria comer 32g de proteína/dia. No momento isso é inviável, gente, isso seria comer 1 bife de 100g e mais 2 ou 3 ovos, e eu iria morrer de fomeeee, kkkk. Nessas dietas existe ainda o dia da recarga, o que não tem na nossa dieta, então acredito que não seja possível fazer uma equivalência entre as dietas. Agora estou fazendo o que muitos nutricionistas sugerem para quem quer emagrecer, comer 1g de proteína para cada quilo da pessoa (SEM DEIXAR DE FAZER ATIVIDADE FÍSICA!!!). Assim eu estabeleci que vou comer em média 69g de proteína/dia, entenderam? Caso não funcione, vou reduzir mais um pouco, tipo 0,8g/quilo corporal, isso daria 55g de proteína/dia.  Acho que cada um terá que procurar a sua proporção ideal, mas partir de um número assim, já ajuda. 


Antes, eu confesso, nunca contei nada. Não tenho paciência para ficar pesquisando ou olhando listas e tal. Mas fiquei animada com o aplicativo FatSecret que conta tudo rapidinho e tem informações já registradas de produtos industrializados (é grátis!!). Se algum produto não esta cadastrado, você mesmo pode cadastrar com o código de barras, não é legal? 

Mas, por que tem tanta foto do meu Quindim de coco "high-fat" neste post? Porque é uma receitinha que esta me ajudando a tapar o buraco da fome nos lanches, pois tem poucos carbos, pouca proteína e muita gordura boa!!! Fiz até uma tabelinha com as informações nutricionais da receita, espero que gostem. 


 Preparo:

1. Bata todos os ingrediente em uma tigela;
2. Coloque o creme em um ramekim e leve ao forno (180°) por 30 minutos ou até dourar. 
3. Salpique metade do coco ralado sobre o quindim;

Se preferir use umas gotas de essência de baunilha.




PS1. Na indução estendida é possível comer coco ralado. Caso você esteja fazendo a indução pela primeira vez, retire o coco, pois ficará gostoso igualmente.

PS2. É fundamental você pesar todos os seus alimentos durante esse período e assim reaprender a comer. 

PS3. Neste mesmo post vi que a ingestão de glutamina pode atrapalhar o estado de cetose, assim eu retirei este aminoácido da minha dieta. Vale a pena ler a respeito e decidir o que você quer fazer. veja este trecho:

"Para piorar as coisas, alguns caem no erro de suplementar a dieta com glutamina de forma a beneficiar do papel anti-catabólico que lhe é atribuído (embora duvidoso deixam-me dizer). A glutamina é um aminoácido gluconeogénico que em condições de baixo nível de insulina eleva consideravelmente a produção de glicose no fígado e rim. A concentração plasmática de glutamina relaciona-se de forma inversa com a glucagina, uma hormona que estimula a síntese de novo de glicose. Isto acontece porque a glutamina é preferencialmente mobilizada para a gluconeogénese [7]. A suplementação, aliada a uma dieta consideravelmente rica em proteína, pode ser, e geralmente é, um factor limitante para o sucesso dos regimes cetogénicos. "



segunda-feira, 25 de novembro de 2013

"Erros comuns na dieta low carb" e "Alimentos para a Cetose Nutricional"



Olá amig@s,

Juro que vou contar todas as novidades das mudanças na minha dieta, mas deixa eu entender melhor, que logo logo faço um post bem explicadinho falando de mim. Para introduzir o assunto achei legal trazer algumas informações que encontrei neste blog aqui: Carb Smart. Quem me indicou foi a minha mais nova amiga de infância, a Vanessa, que me encontrou pelo blog e Instagram e descobrimos que somos vizinhas, moramos pertinho, pertinho. Obrigada linda, talvez você tenha me ajudado mais que eu a você. Mas, voltando, esse blog confirmou algumas suspeitas, referentes à nossa dificuldade de perder peso. Segue alguns destaques que fiz dos três posts desse blog que eu acho importante falar. Para explicações mais detalhadas acesse os links do blog Carb Smart. 

"Erros comuns na dieta low carb"







Fonte:


"12 alimentos saudáveis com alto teor de gordura para ajudar na cetose nutricional"


Vale destacar que cada organismo é diferente e que cada um tem seus próprias necessidades metabólicas específicas de gordura, proteínas e carboidratos.  Mas existem pessoas (como eu e o autor do blog Carb Smart) que tem um metabolismo muito lento e pode ser necessário cortar a ingestão de carboidratos ainda mais, e reduzir a proteína também. 


"Uma das principais chaves para o meu sucesso com cetose nutricional tem haver com o aumento no meu consumo de gorduras. Eu não tenho medo de comer gordura na minha dieta baixa em carboidratos, na ausência de carboidrato, a gordura, é a fonte de combustível do corpo. Mas aumentar os níveis de gordura ainda mais e restringir carboidratos e proteínas faz toda a diferença. Eu me lembro quando eu comecei esta experiência, eu tenho um monte de e-mails de leitores que perguntavam como eu tenho o meu consumo de gordura até 85% das minhas calorias. Alguns brincaram: "O que você está fazendo, bebendo manteiga?" Eu não posso deixar de rir dessa noção, mas permitam-me fazer este um momento de aprendizado para pessoas que podem não estar familiarizados com as diferenças entre os macronutrientes". 


Quando se discute o que é uma dieta muito rica em gordura, é importante para lembrar às pessoas de que um grama de gordura na dieta tem 9 calorias, enquanto carboidratos e proteínas têm cada um apenas quatro calorias por grama. Isso significa que você precisa de menos da metade do volume de gorduras a fim de obter as mesmas calorias que você receberia de carboidratos e proteínas. Então, ele realmente não é gordura, tanto quanto você pensa. Para ajudar você a descobrir o que acrescentar em sua dieta para aumentar drasticamente a quantidade de gordura que você está consumindo, eu compilei uma lista de 12 alimentos ricos em gorduras saudáveis ​​que são perfeitos para o seu plano de cetose nutricional. Se você comer esses alimentos gordos e deliciosamente saudáveis (mas que não engordam),  reduzindo o carboidrato e proteína, não há nenhuma razão para que você não experimente todos os benefícios positivos  que vêm de estar em cetose nutricional.
 
Aqui estão as 12 alimentos ricos em gordura que você deve comer, juntamente com o percentual de calorias que vêm da gordura dietética.



 












 Fonte:



Sobre a Cetose Nutricional:

Esse é um conceito novo para mim e este autor explica da seguinte maneira:

O falecido, grande Dr. Robert C. Atkins fez este conceito-chave a peça central de seus livros mais vendidos. Infelizmente, cetose dietética tem sido severamente criticado por detratores Dr. Atkins como de alguma forma ser um "perigoso" do Estado. "Cetose" tem uma associação negativa confundido com o verdadeiramente perigosa e potencialmente fatal "cetoacidose diabética" , que ocorre mais freqüentemente em pessoas com diabetes tipo 1.

 Outro problema com o uso do termo "cetose" sozinho, como Dr. Atkins fez toda a sua obra, é que ele deixa de comunicar qualquer concreto, o significado prático sobre o que é preciso para chegar lá. Existem verdadeiros benefícios da cetose, de modo que este entendimento é crucial. É por isso que eu acredito que a frase "cetose nutricional" é a melhor maneira de enquadrar a ideia de se tornar ceto-adaptadas ou gordura adaptado através da utilização de um alto teor de gordura bem formulada, adequada de proteínas (moderado), dieta baixa em carboidratos.

O termo "cetose nutricional" tornou-se popular na comunidade low carb, nos últimos anos, graças a uma série de livros escrita pelo Dr. Stephen Phinney e Dr. Jeff Volek . Eles primeiro usou a frase "cetose nutricional" em seu 2010 New York Times best-seller The New Atkins Por Um Novo Você (escrito com o Dr. Eric Westman). Phinney e Volek continuou a utilizar e definir o termo em seus livros posteriores a arte e a ciência de baixo carboidrato Viver e A arte e a ciência de baixo carboidrato Desempenho . Esta marca do conceito de "cetose nutricional" foi a melhor adição ao baixo vernáculo carb já que muitos pararam de falar em low carb como uma "dieta" e começaram a chamá-lo de "estilo de vida".

Fonte:

 

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Panqueca de farinha de banana verde

Bom dia amig@s

Quando tem alguma coisa MUITO legal, corro para contar para vocês. A receita de hoje é uma das panquecas mais parecidas com aquelas tradicionais que já fiz. Muitas panquecas low carb, quando a gente vira, quebra, né? Essa não, mesmo fazendo fina, ela não quebra, adorei a textura da massa. Aliás, já falei aqui que a farinha de banana verde deixa as receitas muito parecidas com as originais. De todas as farinhas low carb acredito que as mais TOPs são: a farinha de amêndoas e de banana verde. Somente estas duas se aproximam na liga e no sabor. Também fiz o pão de farinha de banana verde que já postei aqui no blog. Beijocas.

Vamos à receita:



Ingredientes
2 ovos
1/2 xícara de farinha de banana verde
3 colheres de sopa de creme de leite
1 pitada de sal
1 colher de sopa de óleo de oliva
1 colher de sopa de fibra de aveia (opcional)
 
Preparo
1. Com um fuê bata todos os ingredientes;
2. Em uma frigideira antiaderente (untada) despeje a mistura;
3. Quando estiver dourada, vire a panqueca.

Recheio a Gosto
Carne moída
Queijo
Peito de frango

Rendimento
3 panquecas de 15cm de diâmetro (frigideira para tapioca)