sábado, 11 de outubro de 2014

Nem tudo é alimentação: os hormônios em questão


Olá amig@s,

Finalmente finalizei meu mestrado!! Mas confesso que estou sumida por falta de vontade mesmo, hehehhe. Nesse período não larguei a dieta e continuo com o acompanhamento da nutricionista. Foram muitas mudanças até vermos o que funciona para mim. Mesmo controlando carbos e até calorias (desespero total), nos primeiros meses de tratamento não perdi gordura significativa e nem ganhei massa. O fato é que eu não estava emagrecendo por estar com os meus hormônios TODOS alterados. 

Mas vou começar do começo... Há vários anos uso pílula contínua para escapar dos sintomas da TPM e não engravidar. Quando decidi ficar grávida há 8 anos, parei a pílula e engravidei em 3 meses. Depois que minha filha nasceu, voltei a tomá-la.
Eu não achava natural ter toda aquela cólica, irritação e espinhas!! Me achava super saudável tomando pílula sem interrupção.... Mal sabia eu da confusão hormonal que estava causando no meu corpo. Eu confiei em um médico que me garantiu que não fazia mal. Comecei a desconfiar da pílula quando fiz pesquisas com pacientes de AVC e sempre tinha essa coisa da pílula ser um dos fatores de risco para trombose. Mas sabe quando a gente não quer ver? Pois é, não queria ver que fazia mal e realmente não vi. Só valorizava os sintomas aparentes que ela fazia desaparecer. 

Com toda essa mudança no meu estilo de vida. Deixei de tomar remédios (somente em casos extremos, antes eu vivia na farmácia). E depois que passei a ter acompanhamento com a nutri, os únicos industrializados que ainda faziam parte da minha dieta eram: o adoçante de sucralose (já estou eliminando, para entender porque, leia aqui) e o whey de carne (esse ainda não consegui eliminar).

Depois de várias mudanças na minha alimentação, de realizar exames e verificar deficiências em algumas vitaminas (como a Vit D, Vit B12 e Zinco), ainda não havíamos encontrado a solução ou pelo menos alguma resposta do porquê eu não emagrecia mais. Foi aí que a nutri me pediu uma bateria de exames importantes e hormonais: LDH, ESTRONA, TSH, T4L, ESTRADIOL, PROGESTERONA, CORTISOL, INSULINA, TESTOSTERONA TOTAL E LIVRE, DEHIDROEPIANDROSTERONA, DIHIDROTESTOSTERONA - DHT.

Os resultados estão no final do post, para quem quiser dar uma olhada. EU não tenho competência para explicá-los tecnicamente, mas como leiga posso dizer que eu cheguei a achar que estava na menopausa, buá, buá!!! Quando fiz os exames achei que os hormônios femininos estariam altos (por causa da pílula) e os masculinos estariam baixos (pelo mesmo motivo). Mas para minha surpresa, os hormônios de forma geral estavam todos baixos, tanto femininos quanto masculinos!!!

A nutri explicou que eu não estava emagrecendo e nem ganhando massa, pois meus níveis hormonais não permitiriam. Mesmo que eu dormisse e acordasse na academia,  não adiantaria. Isso é um balde de água fria em alguém que está se esforçando tanto há mais de dois anos, não acham? Mas pelo menos passei a ver uma luz do fim do túnel! Eu ficava muito frustrada, pois ajudei muita gente a emagrecer (obrigada aos seguidores pelos vários relatos que recebi por e-mail), fazia tudo certo, mas eu mesma não emagrecia. 

Para ajudar (#sqn), também fiz o teste de curva glicêmica e insulinêmica e a nutri disse que eu tenho síndrome metabólica, mesmo depois de dois anos fazendo low carb!! Imagina como seria meus exames há dois anos atrás?

O que fazer diante disso? Perguntei a ela se eu devia fazer reposição hormonal (estou falando de hormônios sintéticos), parar a pílula? o que fazer??? Ela não me disse para parar a pílula, mas disse que tomando a pílula dificilmente iria produzir os hormônios nas quantidades adequadas para mim. Foi minha a decisão de parar a pílula e aguentar os sintomas que viriam em decorrência disso.

A nutri sugeriu não fazer reposição hormonal, pois ela acredita que colocar hormônios de fora, vai fazer com que meu corpo nunca volte a produzi-los naturalmente. O que faz muito sentido para mim. E já que tomei essa posição na minha vida e ter uma vida mais natural possível, achei melhor não procurar pela reposição. A solução seria estimular meu próprio corpo a produzir os hormônios que eu preciso. E isso é possível com fitoterápicos. 

No primeiro mês de tratamento fitoterápico-hormonal (eu chamo assim) tive uma pequena redução de gordura e um pouco de ganho de massa. A nutri fez mais alterações nos manipulados e no segundo mês perdi 3 quilos de GORDURA e mantive a massa muscular. Para quem não estava emagrecendo nada, perder 3 kg em 1 MÊS é MUITAAAA coisa. Mais uma vez alteramos as fórmulas, até porque meu segundo objetivo é ganhar massa muscular. No mês seguinte não perdi e não ganhei nada.

Veja bem, a dieta continuou a mesma, as únicas mudanças foram nos fitoterápicos. Essa semana fui na nutri e com esse resultado percebemos que talvez o problema estaria na transformação da testosterona em DHT. Ela acha que devemos inibir a conversão de testosterona para DHT para sobrar mais testosterona para converter em Estradiol. Gente, isso é só um resumo, a coisa é mais complexa, tem também outros sintomas que ela leva em conta para chegar nessas hipóteses, como por exemplo o aumento da minha queda de cabelo, mesmo fazendo reposição de vitaminas para isso, tipo o zinco e a biotina...

Enfim, esse post eu fiz para dizer que nem tudo é a alimentação. Que muitas vezes vocês estão fazendo tudo certo (não se sintam culpadas), mas existem outros fatores atuando no organismo. Eu não teria conseguido descobrir tudo isso sem a ajuda de um profissional, e espero que se vocês desconfiam de algum problema, procurem ajuda e não fique perdendo tempo e dinheiro comprando produtos aleatórios. 

Eu também queria dividir com vocês algumas pesquisas que fiz sobre os fitoterápicos que estou tomando ou que tomei nesses últimos meses para tentar ajustar meus hormônios (as fontes estão lá embaixo). Espero que tenham gostado do post, um beijão!!








Pss. 
1.Minha nutricionista não tem nenhum vínculo ou responsabilidade com os dados contidos neste post.
2.Não sou especialista da nutrição, não indico dieta, não analiso exames, somente compartilho a MINHA experiência.






Fontes: 

terça-feira, 3 de junho de 2014

Pizza low carb de couve-flor


Oiê minha gente.

Continuo firme e forte na dieta, e devendo muitos posts, mas estou na reta final do mestrado e fico muito culpada em dedicar tempo ao blog que poderia dedicar à dissertação. Quem segue pelo Insta pode acompanhar meu dia a dia alimentar, e perceber como anda minha dieta. Mas vou contar um pouco sobre o que tem acontecido. Bem, desde novembro de 2013 eu estava com a balança travada. Não só a balança, também não tive resultados significativos no ganho de massa. Isso é tão frustante, né? São 6 meses, é muita coisa. Alguém se identificou aí? Aí tem todo aquele papo, que balança não é importante, que o corpo precisa de um tempo pra se acostumar.... e todo aquele blá, blá, blá!!!! Sim, tem sua parte de verdade, mas depois de tannntooosss meses sem emagrecer, fazendo dieta low carb alguma coisa deve estar errado. E olha que eu mudo a dieta a cada dois meses... ou aumento carbos, ou diminuo as proteínas, justamente por causa do efeito platô. Mas queria chamar a atenção para uma coisinha que acho que deixei passar... Em novembro fiz exames de sangue e a médica disse que estava tudo bem. Mês passado fui em uma nutricionista funcional low carb/paleo (e mostrei meus últimos exames) e ela disse que eu estava naquele exame com infecção urinária. Gente, como a médica não viu isso???? Detalhe, em fevereiro, depois de uns 3 meses daquele exame fui parar no hospital achando que estava com pedra no rim (imagina a dor!!!) e na verdade estava com infecção urinária!!! Meu deus, tem tudo a ver, infecção urinária com dificuldade para emagrecer.... quem tiver, leia o capítulo do livro do Dr. Atkins, é um dos primeiros, que fala sobre isso. E eu, muito burra, sabia disso, mas não tinha ligado uma coisa com a outra. Precisa tratar a infecção, gente. Outra coisa que me deixou chateada, a médica disse que minha B12 estava boa.... A nutricionista disse que estava muito baixa!!!!!!!!! Ela é muito importante para a produção de serotonina (falta dela aumenta a vontade de doce, compulsão, depressão, sono ruim) e é muito importante para a memória também. E que o ideal era ficar acima de 500...A minha tava 250!! E olha que eu como muita carne... imagino que a falta de B12 tenha a ver com a microbiota intestinal... que acaba não absorvendo bem os nutrientes... Pode ser também pelo uso da caseína... por isso retirei ela da minha alimentação. Entramos com suplementação de B12 sublingual e tomo a noite antes de dormir, junto com a B12 tem também o 5HTP para me ajudar a dormir melhor. Por isso minha dieta foi estruturada pela nutri para fazer principalmente 3 coisas:
- Desintoxicar rins e fígado (com verduras roxas, brássicas, chá de hibisco e dente de leão. Tem um manipulado que tem chá verde e outras coisas na fórmula) 
- Restaurar a microbiota intestinal pra poder absorver os nutrientes dos alimentos (com banana verde, batata yakon e manipulado de prebióticos)
- Cuidar da infecção urinária (verduras e chás)

Gente, é muita coisa, muito detalhe, e estou adorando que alguém cuide disso tudo pra mim... Estava bem cansada de fazer o jogo da tentativa e erro com as coisas que lia. 

O que eu acho é que esse meu platô gigante pode ter a ver com tudo isso, principalmente com a infecção urinária... 

Pra resumir a história, de industrializado/refinado estou só com a sucralose (ainda não me livrei dela... é um outro passo) e com o whey Elite Primal, que é feito da proteína da carne (ao contrário dos outros que é da proteína do leite) mas que não tem caseína na composição e é rico em vitaminas do complexo B. TODO o resto é COMIDA DE VERDADE!!!!!

Como cheguei num peso "saudável" para o meu corpo, ele não entende que quero emagrecer mais... por isso além de fazer uma dieta low carb, a nutri também deu uma reduzida nas calorias diárias....(Baseado também no meu teste de bioimpedância).  Mas não tenho como dizer, pois as calorias variam, pois em dia de treino de musculação meu pré treino tem mais coisa: além do ovo e do gengibre, tem também 100g de batata doce, 1/4 de beterraba e yakon. E quando faço treino aeróbico de alta intensidade, meu pré-treino tem 1/2 xícara de mirtilos e 50g de banana. É complicado de explicar, pois tem essas variações de acordo com o gasto energético do dia. No pós treino tem basicamente proteínas, e fica assim: 2 ovos, gengibre e 1 dose de whey. 

Mas é como eu disse, é muito individual e foi feito na medida das minhas necessidades. Uma pena ser difícil  encontrar bons profissionais com essa visão low carb/paleo... 

Mas vamos ao que interessa, a receita da pizza... Ta rolando um congresso online de alimentação saudável. Eu assisti já da outra vez algumas palestras e agora também. É feito pelo Instituto Nacional Vida Saudável, e pode assistir de graça ao vivo. Ontem assisti a palestra do Rodrigo, "Como emagrecer de vez, alcançar seu peso ideal com sorriso no rosto". Ele tem o blog Emagrecer de vez. E compartilhou uma receita de pizza de couve-flor. Confesso que no começo da dieta tentei fazer uma pizza de couve flor, mas não gostei do resultado. Essa é diferente daquela que eu tentei fazer, e por isso arrisquei... Que bom que arrisquei... pois eu achei ela MUITOOO boa e fácil de fazer. Pra mim, o único problema é que vai queijo e por enquanto eu cortei os laticínios. Mas como eu queria testar e não sou neurótica e nem tenho intolerância a lactose, fiz com queijo mesmo e comi. Na cobertura coloquei bemmm pouquinho e na massa diminuí do que ele sugeriu. Mas nos finais de semana, a gente não precisa ser tão rigoroso, né? Pelo menos eu tenho aprendido que o equilíbrio é a melhor solução. Só mais uma coisa, eu uso muito orégano fresco, se encontrarem pra vender provem, vale muito a pena pelo sabor... sobre a pizza usei ele fresco... 

Ingredientes para a massa:
1/2 couve flor crua
1 ovo
50g de queijo ralado de pacote
1 colher de sobremesa de orégano seco
Sal e pimenta a gosto



Preparo:
1. Pique a couve flor com uma faca e leve ao processador até ficar parecido com uma farinha.
2. Acrescente o ovo, o queijo, o orégano, o sal e a pimenta.
3. Misture bem até ficar uma massa homogênea.
4. Coloque a mistura em um refratário redondo untado com azeite de oliva (eu coloquei naquela base de silicone para assar, não precisa untar)
5. Leve ao forno (180 graus) por 20 a 30 minutos, ou até ficar uma casquinha dura por cima.
6. Retire do forno e coloque o recheio a gosto (fiz com molho natural de tomate, queijo, atum e orégano)
7. Leve ao forno novamente (com dourador ligado) até derreter o queijo. 


Espero que tenham gostado... Um grande beijo a todos!!

quinta-feira, 13 de março de 2014

Mousse, leite e farinha de coco natural

Bom dia galera
Vocês sabem que estou nessa vibe Paleo, evitando industrializados e tal, né? Eu realmente acredito que todos esses aditivos, conservante, acidulantes e outros "antes", não fazem bem ao nosso corpitcho. Confesso que não sou xiita, vocês já me conhecem, mas tem coisas que são muito mais saborosas quando feitas em casa. Quem consegue misturar leite de coco (industrializado) com água e tomar? Achando gostoso, é claro.... Eu não consigo, só usava leite de coco em algumas receitas. MAS, depois que fiz esse leite de coco caseiro, #semrotulo fiquei apaixonada!!!!! Vontade era de tomar purinho, sem adoçante, nem nada!!!! Quem sente falta de tomar leite, tem aqui uma ótima ideia!!! 
Sugestões para beber o leite de coco fresco:
- Bater, no liquidificador, com canela e gelo.
- Bater com morangos.
- Bater com a banana verde (ler sobre amido resistente aqui, aqui e aqui)
- Bater com cacau e adoçante (será que vira um Nescau?)
Bem, vou passar o passo a passo do leite de coco e depois segue uma receitinha MARA de mousse de coco SEM Lactose, SEM creme de leite, SEM carboidratos.... só de vento, hehehheheh
Ingredientes para o leite de coco
1 coco seco inteiro (aquele com a casca marrom)
1 1/2 xícara de água fervente
Preparo
1. Quebre o coco.
Para facilitar, algumas sugestões que me deram:
a) Coloque o coco inteiro no freezer antes de quebrar para soltar mais facilmente.
b) Aqueça o coco na boca do fogão e depois quebre (no chão)
c) Coloque em um saco e jogue pela escada de incêndio.
Como eu fiz: chamei o marido e pedi para quebrar, ele fez com martelo e chave de fenda. Depois eu terminei com um batedor de carne. Não fiz nada do que sugeriram e tirei a polpa do coco com uma faca de ponta. Saiu tranquilo.
2. Pique a polpa (com aquela casquinha marrom fininha junto, e coloque no liquidificador.
3. Acrescente a água fervente e deixe descansar por uns 15 minutos.
4. Bata no liquidificador por 1 minuto.
5. Coloque a mistura em um pano limpo para coar sobre uma bacia.
6. Esprema bem, até a polpa do coco ficar bem seca.
7. O leite de coco está pronto, coloque em um recipiente de vidro e leve à geladeira por alguns dias.
8. Se for usar logo o coco ralado, guarde em um recipiente fechado na geladeira. Caso prefira secá-lo, coloque um uma forma e leve ao forno na temperatura 100° até secar. Mexa de vez em quando.
Não sei bem o prazo de validade porque aqui em casa não dura muito tempo, consumo bem antes.... Quem souber conta pra gente aqui nos comentários.
Agora vamos ao mousse
Ingredientes do mousse de coco funcional
4 claras
200 ml de leite de coco caseiro
1 colher de sobremesa de gelatina incolor
Preparo
1. Bata as claras em neve.
2. Dissolva a gelatina em 5 colheres de sopa de água e leve ao micro ondas por 15 segundos.
3. Misture o leite de coco com a gelatina dissolvida. Adoce a gosto.
4. Delicadamente incorpore o leite de coco às claras em neve.
5. Leve à geladeira por 1 hora. Misture novamente com uma colher, para a gelatina incorporar melhor.
Eu sugiro que quando você for comer, coloque em um potinho e deixe no congelador por 15 minutos. Fica como um sorvetinho, sem ficar duro como uma pedra!!!
Coloque os ingredientes no FatSecret para ter uma noção, e devo dizer que é para comer rindo, hehehhehe. Acho que nunca fiz alguma coisa tão saudável. Acredito que renda umas 5 porções, então dividi por 5 só para ter uma ideia melhor.
Sobremesa inteira:
1g de Carboidratos
17g de Proteínas
55g de Gorduras
589 Kcal
Cada porção:
0g de carboidratos
3,4g de proteínas
11g de gorduras
117 Kcal
PERGUNTAS FREQUENTES:
Pode comer na indução?
R- Pode
Quanto disso posso comer na indução?
R- Não sei, depende de tudo o que você comer durante o dia, suas metas, e tal. 
Posso fazer o mousse sem a gelatina?
R- Não sei, nunca testei, mas acho que não vai ficar bom.
Posso fazer com leite de coco industrializado?
R- Pode, mas aí perderia todo o sentido do do natural. 

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Sorvete de baunilha com flocos de chocolate - low carb

Essa sobremesa/sorvete é ideal para receber amigos, porque ninguém vai dizer que é alguma coisa de dieta. Além de ser bem chique... A minha ficou simplesinha, pois só tinha morangos congelados em casa, mas se fizer a calda com framboesas ou morangos frescos e decorar com frutas frescas, vai ficar um LUXO!!!
Eu sugiro que façam receita dupla, porque não vai sobrar nada!! 
A receita original (e não low carb) é do Canal do Youtube: Gastronomismo, o canal é ótimo, vale a pena seguir, e assistam aqui o preparo do sorvete. 





Usei raspas de chocolate 70% (abaixo) e Nibs de cacau (acima)

Ingredientes
1 ovo
4 gemas
300g de nata
1 colher de chá de baunilha
Adoçante a gosto
Raspas de chocolate 70% cacau ou nibs de cacau a gosto
1 xícara de morangos ou framboesa para a calda.

Preparo 
1. Revista uma forma de bolo inglês com plástico (papel filme). Reserve. 


2. Coloque em uma tigela 1 ovo e mais quatro gemas. Adicione adoçante a gosto e bata com um fuê. 


3. Leve essa mistura em banho maria, mas a tigela precisa ser maior que a panela para a tigela não encostar na água. Misture bem para que a mistura fique aquecida, mas não deixe cozinhar as gemas. 



4. Em outra tigela bata a nata com a essência de baunilha. Cuidado para não virar manteiga, deixe em um ponto em que fique apenas firme. 



5. Misture levemente, o creme de nata ao creme de gemas, até ficar uma massa homogênea.



6. Com uma faca, faça raspas grossas de chocolate 70% cacau. Se preferir acrescente nibs de cacau. Sugiro não colocar apenas o nibs, pois pode ficar amargo demais. 


7. Acrescente o chocolate picado ao creme. Se necessário regule o adoçante. 



8. Despeje o creme na forma revestida e leve ao freezer por três horas. 


9. Faça uma calda de morangos ou framboesa batendo no liquidificador a fruta com adoçante a gosto.

  

10. Retire do freezer 20 minutos antes de servir. Decore com frutas frescas.




As fotos utilizadas no PAP, foram retiradas do vídeo original da receita (Youtube).


sábado, 15 de fevereiro de 2014

Pão branco low carb

Olá amig@s,

Um dos grandes desafios do estilo de vida low carb é adaptar o famoso pão "branco". Eu tenho algumas versões com grãos (aqui), tem a versão Subway (aqui), e o melhor até o momento era o pão de farinha de banana verde (aqui), mas como a gente sabe, não é a mesma coisa. Na verdade NUNCA vai ser a mesma coisa, porque nas nossas versões saudáveis não vamos induzir picos de insulina comendo aquela porcaria cheia de farinha refinada. O nosso pão é muito melhor, porque não vem cheio de culpa, neam??? Com o tempo a gente acostuma e nem sente mais prazer comendo o velho pãozinho. Ontem mesmo teve pizzada em família aqui em casa, eu até poderia ter comido, já que estou quase no meu peso, mas, sinceramente? Não tava a fim... ter dor de cabeça, ficar inchada e outros sintomas, não valia a pena. E podia até desencadear uma compulsão... Tomei sim uma taça de vinho, porque essa não me faz mal e me dá prazer. É isso aí, com o tempo..., mas para chegar aqui foram MUITOS passos!!! Como eu digo, "não é fácil, mas também não é difícil", hehehehhehehehe.  

Vamos ao pão! Encontrei essa receita no Instagram da @lchf_4life mesmo já tendo testado muitas receitas, eu ainda não perdi as esperanças. Não tanto por mim, mas pelo meu marido que sente muita falta de pão!! Só mudei umas coisinhas, coloquei mais creme de leite, um pouco de adoçante (porque gostava de pão mais docinho) e reduzi os ovos. Dica para quem quer deixar sem gosto de ovo, peneire as gemas, ok? Eu não fiz, não achei com gosto de ovo, mas tem gente que é muito sensível ao gosto, então é melhor prevenir. Outra dica, se você quiser um formato de pão de hambúrguer, coloque em vários refratários redondos ou ramekins, aí ele fica certinho... Receita quando é muito boa tem que vir para o blog, então está aí, aproveitem!!!



Ingredientes
4 ovos
2 colheres de sopa de manteiga
4 colheres de sopa de creme de leite ou nata
1 xícara de queijo ralado (misturei aquele de pacote com muçarela)
2 xícaras de farinha de amêndoas (ou castanha de caju - que foi a que usei, mais barata e saborosa)
1 colher de sopa de fermento em pó químico
Adoçante de sucralose a gosto (opcional)



Preparo
1. Bata em um liquidificador os ovos, o creme de leite, a manteiga e o queijo ralado.
Você pode continuar a receita no liquidificador ou passar para a batedeira ou bater a mão. Ficará uma massa pastosa encorpada, mas acho importante bater até aqui no liquidificador. 
2. Acrescente a farinha de amêndoas ou de castanha de caju e bata novamente até ficar uma mistura homogênea.
3. Acrescente o fermento e misture levemente, até incorporar na massa.
4. Leve ao forno a 180° por 30 minutos ou até dourar.

Fica melhor frio.


terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Tomates verdes fritos na minha versão low carb e high fat

Bom dia,

Tudo começou quando fiquei com preguiça pela manhã e acabei chegando um pouco mais tarde na feira (nem tanto, 8:30). Fui correndo no tomatinho cereja, e???? Só tinha sobrado os verdes, mas não estou falando de meio verde e sim de 100% verde, sabe, daquele jeito que a gente sabe que não vai  conseguir comer? Na hora lembrei daquele filme: Tomates Verdes Fritos, bem antiguinho que fala sobre a amizade entre algumas mulheres. E pensei, (mesmo sem lembrar da receita do filme): acho que podemos tentar uma versão low carb!! Cheguei em casa, olhei as receitas na internet, que para variar vai farinha e tal. 


domingo, 26 de janeiro de 2014

Avaliação de suplementos: chega de enganação!!!

Olá amig@s,

Há algum tempo alguns laboratórios (independentes) estão publicando na internet e nas redes sociais análises de suplementos e suas respectivas divergências em relação às informações que constam no rótulo. Independente se tem mais ou menos macronutrientes, isso é um absurdo, pois elaboramos e tentamos seguir uma dieta toda certinha, segundo as necessidades de cada um, e somos boicotados por produtos de má qualidade. Sem contar o fato que custam dinheiro e por isso somos roubados!! O que vocês me dizem de um whey que apresenta 844% a mais de carboidrato do que consta no rótulo? Não estamos falando de pouca coisa, suplementos como este, pode jogar no lixo muito esforço e dedicação!!! 

Estou muito bem adaptada a uma dieta em que calculo a quantidade de proteína, carbos e gordura que como durante o dia, imagine o que um desses suplementos alterados fariam com minha dieta? Me sinto lesada e revoltada cada vez que vejo essas análises. Dessa vez, foi a PROTESTE, Associação Brasileira de Defesa do Consumidor que fez essas análises e espero que tendo a força de uma associação, possamos ter algum resultado como punições e mais análises de confiança. Estou aqui compartilhando e ajudando a divulgar os resultados. Segue parte do artigo, para ler na íntegra, acesse aqui:


"A PROTESTE testou vinte suplementos proteicos para atletas para avaliar se a variação da quantidade de proteínas e carboidratos descritos no rótulo está de acordo com a legislação e apenas seis das vinte das marcas testadas apresentaram resultados aceitáveis. O fato é que esta diferença pode impactar diretamente o desempenho e rendimento dos praticantes de atividade física, principalmente em dietas calculadas em função dos valores nutricionais fornecidos no rótulo.
Estes suplementos denominados Whey Protein (WP), feitos com proteínas do soro do leite de vaca, atualmente são os mais populares no mercado e sua finalidade é suprir possíveis carências proteicas da dieta e estimular a hipertrofia muscular.
Porém, a maioria dos produtos foram mal avaliados porque ultrapassam a tolerância prevista na Resolução RDC Nº 360/2003, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), de 20% para mais ou para menos com relação ao valor calórico e nutrientes declarados no rótulo.
E após a análise o problema encontrado foi que a maioria deles oferece menos proteínas e mais carboidratos do que declarado no rótulo. Apenas a marca Maximum Whey/MHP apresenta menos carboidrato na fórmula.



 Para os consumidores de suplementos proteicos a boa noticia é que cinco produtos receberam boa avaliação em todos os quesitos do teste por conter as quantidades corretas dos nutrientes declarados no rótulo e no produto, são eles:
  • Top Whey 3W (Max Titanium)
  • 100% Pure Whey (Probiótica)
  • Isofusion (Gaspari Nutrition)
  • Whey Protein Isolate (Now Sports)
  • 100% Whey Fuel (Twinlab)

A PROTESTE enviou os resultados do teste à Anvisa e às Vigilâncias Sanitárias do Rio de Janeiro e São Paulo, pedindo a retirada dos produtos irregulares do mercado. E também enviou ofício aos Procons das duas cidades, pedindo a abertura de procedimento administrativo para adequação das rotulagens."


Infelizmente a lista dos suplementos que foram mal avalizados pela Proteste é bem maior que aqueles que foram bem avaliados:



Para quem quiser saber os parâmetros de análise, leia aqui.
Compartilhe!!

bjs
Jully



terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Molhos de azeite: Pesto e Chimichurri



Eu sempre digo, o segredo de não sair da dieta é ter SABOR!!! Até uma alface, que para muitos não tem gosto de nada, pode ter um TCHAMMMMM!!!. Os molhos de azeite são ótimos para dar esse thammm.

Vou falar de 2 molhos hoje, o chimichurri só conheci esses dias, mas o pesto já conhecia há alguns anos.  Os dois são ótimos!!!

O pesto é um molho que tem origem em Gênova, uma região muito charmosa do norte da Itália. O pesto tradicional é feito de manjericão (basílico em italiano), azeite, pinoli (são uns pinhões finos), alho e sal. Isso tudo é amassado em um pilão até ficar na consistência. Eu não sei se o queijo Grana foi introduzido posteriormente, mas quando morava na Itália, o pesto ensinado e vendido também tinha queijo Grana. Esse queijo é similar ao Parmesão que conhecemos por aqui, é gorduroso e bem duro, geralmente se come ralado sobre a comida (ex. sobre o carpaccio). 

 A base do molho é essa, mas nossa criatividade pode adaptar e fazer um ótimo pesto com o que temos em casa.

O pesto de manjericão é fantástico, mas você pode fazer com outras folhas ou combinando algumas folhas no mesmo pesto. Sugiro a rúcula e a salsinha, mas isso é a gosto, vocês devem provar e ver o que fica melhor. 

Uma versão mais low carb pode substituir o pinoli por castanhas, pode ser do pará, de cajú ou amêndoas. Acho que se você quiser fazer sem elas também vai ficar gostoso. Vai de como você elaborou a sua dieta e suas necessidades. (Eu usei farinha de amêndoas)

O azeite deve ser de ÓTIMA qualidade, eu acho que vale a pena comprar um azeite Italiano para não errar, nos grandes supermercados já tem ótimas marcas com um preço acessível. Os melhores azeites tem acidez de 0,5%. 

O alho não tem substituição, ele vai dar um sabor único. 

O queijo pode ser o parmesão ou qualquer um que seja gorduroso e duro. SE não tiver mesmoooo, faça com um queijo qualquer ou faça sem queijo mesmo, que vai dar certo.

Pesto de Manjericão e Rúcula

Ingredientes
1 maço de manjericão
1 maço de rúcula
50g de amêndoas
50g de queijo parmesão
1 dente de alho
Sal e pimenta a gosto
1/4 de xícara de azeite de oliva extra virgem
4 colheres de sopa de água quente¹


Preparo
1. Coloque as folhas, as amêndoas, o queijo e o alho em um processador e triture bem.
2. Acrescente o azeite e continue triturando até ficar homogêneo.
3. Prove e acrescente o sal e a pimenta a gosto.
4. Conserve na geladeira. 

Quem gosta de vídeos de receita, sugiro assistir o Jamie Oliver fazendo pesto (aqui). 

 


Não poderia deixar de falar do Chimichurri, que eu conheci recentemente em um restaurante. Em uma pesquisa rápida aprendi que:

O chimichurri é um molho à base de salsinha, alho, cebola, tomilho, orégano, pimenta vermelha moída, pimentão, louro, pimenta do reino negra, mostarda em pó, salsão, vinagre e azeite de oliva para preparar churrasco ou acompanhar outras comidas.

O molho é tradicional na Argentina e no Uruguai, usado principalmente para fazer churrascos. Pode ser usado tanto para deixar a carne de molho antes de fazer o churrasco (marinada), como para molhar a carne enquanto esta sendo assada, ou mesmo para temperar depois de pronta.

Sobre seus ingredientes, pode haver muitas variações, desde acrescentar ou substituir a salsinha por coentro, acrescentar orégano ou mesmo alfavaca ou manjericão, até acrescentar ou substituir o vinagre por suco de limão. É comum acrescentar alguma pimenta. A mais usual é a pimenta calabresa ou outra semelhante, mas pode ser páprica picante ou mesmo pimenta do reino.


A receita peguei da internet: (assista o vídeo aqui)

Ingrediente
08 dentes de alho
02 xícaras de sopa de Vinagre de Vinho
1 a 2 colheres de Limão Siciliano
100 a 175 ml de Azeite Extra Virgem
½ colher de chá de sal
 ½ colher de chá de pimenta do reino
1 colher de Folha do Aipo



Preparo
Misture bem todos estes ingredientes. Deixe descansar esta mistura para apurar o sabor e servir junto com a saladas, ovos ou carnes.

Como vocês podem notar, cada um faz o chimichurri que prefere, faça as suas variações com as opções que citei acima.  Espero que tenham gostado!
Beijos



¹Se quiser deixar o pesto com uma textura mais oleosa, não acrescente água.

domingo, 19 de janeiro de 2014

Por uma praia low carb!!

Olá amigos,

Juro juro que vou tentar não fazer um post daqueles chatos para falar da importância de beber água no verão, heheh.
Época de férias e muitas tentações, felizmente passamos pelo momento mais crítico que é as semanas de Natal e Ano Novo. Como vocês sabem eu dei uma fugidinha em algumas refeições durante essas datas, mas vejo cada vez mais que não vale a pena. Fiquei inchada e tive que voltar correndo. Agora já recuperei, mas o período de praias (e piscinas para o pessoal do interior) ainda não acabou e o que a gente ESCOLHE fazer? Jacar todas as vezes que estiver nesses momentos de lazer? Como falei antes, isso é uma ESCOLHA. Então, Se escolher jacar, depois não reclame que sua dieta não esta evoluindo. Dificilmente a gente jaca e fica feliz no outro dia, acho que o mais comum é se sentir frustrado e chateado. Mas isso tudo é um processo e a gente vai evoluindo. 

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Pagando promessa


Olá amig@s

Como prometido neste post vou tentar contar tudo o que estou fazendo na dieta, os resultados, etc. Desde outubro comecei a fazer alterações na minha alimentação, a primeira coisa que mudei foi a quantidade de gordura, eu comia em média 50 a 70g por dia e passei a comer entre 170 a 190g. Como eu já contei anteriormente, reduzi o consumo de proteínas para 1g por kg corpóreo, que no meu caso equivale a 66,2kg (14/12/2013) e 72,0kg (10/10/2013) quando comecei seguir esta estratégia. E com isso já conto o final da história, hehehheheh... Em 65 dias, perdi 6kg, o que significa que perdi em média 600g por semana, que na minha opinião é um ótimo resultado, considerando que já fiquei mais de 6 MESES, isso mesmo, sem perder nadica de nada.... Não fiz os cálculos até hoje, porque teve férias, Natal, Ano Novo e saí da dieta, fiquei inchada e não poderia comparar, para falar a verdade, consegui só agora retomar esse peso da metade de dezembro - uma m. mesmo. 

Segue minha tabela de avaliações na academia, como pode se ver, perdi um 1,300kg de massa magra, 2.0kg de gordura e mais de 1kg de líquidos, isso significa que:

- Tive que sacrificar massa magra por um bem maior, mas estava consciente que isso poderia acontecer.
- A dieta que segui me fez desinchar bastante.
- Perdi 2cm de circunferência do quadril 
- Perdi 4cm de circunferência da cintura
- Perdi 6cm de circunferência do abdômen


 Agora, como foi a dieta e o que acrescentei e eliminei durante esse período:

- Comida de verdade, essa foi a base do meu pensamento. Comida de verdade não precisa de "rótulo" (geralmente). Veja abaixo o quadro de como foi o esquema das minhas refeições. 
Exceções:  gelatina zero, adoçante, vitaminas, essência e refrigerante zero. Também uso aceto balsâmico e temperos como Mrs. Dash que não tem sódio e é feito de ervas naturais desidratadas.

- Gordura, gordura e gordura, basicamente 180g de gorduras em forma de azeite de oliva, óleo de coco, manteiga, nata, abacate (pouco) e óleo de linhaça (pouco). Isso corresponde a 70-80% do total da minha alimentação diária. (Essa é a parte mais dispendiosa em termos financeiros dessa dieta, mas é fundamental um BOM azeite de oliva (extra virgem) e um óleo de coco também EXTRA virgem - compro em média 3 potes de 500ml por mês que custam 40,00 cada).

- Verduras, verduras e verduras: Muitas folhas (alface e rúcula) em TODAS as refeições, cerca de 100g de folhas em cada refeição (almoço e janta). 

- Cortei os suplementos: Glutamina e BCAA :(. Esse deve ter sido o motivo de ter perdido massa magra, mas meu foco era manter a cetose em alta e esses aminoácidos interferem. Cortei o whey também porque controlei a quantidade de proteína, em cada dose tem 30g de proteína, e teria que deixar de fazer uma refeição para "caber" o whey e isso ia contra minha ideia principal, comer comida de verdade. (Quando voltar a ganhar massa magra, vou voltar a tomar o whey).

- Em média meus macronutrientes ficaram assim: 
20g de carboidratos
70g de proteínas
180g de gorduras.

Basicamente foi isso que fiz... só alternando as verduras e as carnes no almoço...

1. Todos os dias tomei café com óleo de coco (depois de muita água para reidratar depois de uma noite inteira). Depois do café, geralmente procuro fazer atividade física, o que chamo de aero em jejum, no máximo 40 min. de uma atividade que eleve os batimentos cardíacos a 120 - 140bpm. Depois disso, como ou um bolinho de coco (chamado de quindim de coco no blog) ou 1 ovo mexido, frito, geralmente com 1 colher de nata ou manteiga. Pode ser tamb´me com gengibre frito, pois assim conseguimos aumentar mais o metabolismo. 
2. Procuro variar os tipos de carne, geralmente é: sobrecoxa de frango, carne moída, bife, peixe, coxinha de frango. 
3. Os legumes ou verduras variam assim: berinjela, abobrinha ou brócolis em 90% das vezes. Refogo ou faço assado uma quantidade que varia entre 80 e 100g. Tomate, palmito, pepino japonês entraram ou para completar o prato, ou como substitutos dos legumes acima citados nas demais refeições. (Sem contar a alface e a rúcula).
4. Na janta sempre uso os ovos para fazer ou omelete, ou mexido, pois os ovos apenas cozidos (para mim) não dão saciedade. Na omelete ou no ovo mexido, geralmente misturo nata ou manteiga, com alguma verdura, e o resultado é um prato nutritivo e que me dá saciedade. Pode usar parte da verdura refogada do dia e bater junto com os ovos e fritar.


Possíveis perguntas:

Foi fácil? 
Não! Foi F. Treinei muito e ralei muito. Sem atividade física não teria conseguido alcançar os resultados. A dieta sozinha não faz milagres (pelo menos no meu caso).

Foi difícil?
Também não, pois fiquei sempre saciada, sem fraqueza, sem gastar horrores em suplementos, sem gastar horrores em proteínas, já que diminui o consumo delas consideravelmente.

Você consegue?
Parece clichê, mas seu eu consigo, você também consegue. Eu sou/era super morta de fome, nunca imaginei fazer jejum, atividade física só com óleo de coco, então, era tão absurdo, que nem posso acreditar.

Funciona pra você?
NÃO SEI. Só você pode saber se testar. Cada organismo é único. 

Estou recomendando essa dieta?
NÃO, pois não sou uma profissional da nutrição. Não te conheço, não sei das inúmeras variáveis que você pode ter, como remédios, doenças, estilo de vida, atividade física, são tantas coisas que mudam os resultados... Estou simplesmente relatando o que funcionou e como funcionou PARA MIM!!!

Agora...

Depois das escapadas do final do ano, voltei a fazer essa dieta, BEM certinha e estou conseguindo não sair nem nos finais de semana. Quando chegar aos 63kg (agora estou com 66,2), vou reavaliar e suplementar com aminoácidos (glutamina e BCAA) e whey.

Espero ter explicado direitinho... beijos